Comentário de charge: “Para onde os EUA podem voltar?”

Fonte: CRI Published: 2021-09-23 20:56:27
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a Austrália estabeleceram uma nova parceria trilateral de segurança. Sob a instigação dos EUA e do Reino Unido, o governo australiano rompeu o acordo de construção de submarinos assinado com a França. Além da raiva, a França e a União Europeia perceberam profundamente que os EUA não são confiáveis, acusando-os de esfaquear os aliados pelas costas.

De fato, existem muitos exemplos dos Estados Unidos traírem seus aliados: o país fez todo o possível para suprimir a indústria de semicondutores do Japão; recusou-se unilateralmente a aceitar o acordo nuclear com o Irã; desafiou a “linha vermelha” da UE; chantageou seus aliados da OTAN em despesas militares; retirou-se às pressas do Afeganistão sem consultar suficientemente seus aliados.

Os EUA nunca desistiram do unilateralismo, priorizando sempre seus próprios interesses e destacando sua sensação de superioridade. Não é à toa que o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, perguntou sarcasticamente: “O que significa ‘a América está de volta?’ A América está de volta à América ou em outro lugar? Não sabemos.”

Tradução: Zhao Yan

Edição: Erasto Santos Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Jardim Yu em Shanghai
Montanha Qilian no outono
Paisagem da Montanha Tianmen na zona turística de Zhangjiajie
Lua cheia em diversos lugares na noite do Festival do Meio do Outono
Cerimônia de abertura da 14º edição dos Jogos Nacionais da China
Crianças experienciam atividade de confeção de bolos da lua

Notícias

Professor conclui tese de doutorado com ajuda de agricultores
Pescador rumo à vida próspera com mercado turístico agitado em Hainan
Imprensa de Hong Kong: EUA deveriam aprender com a política espacial da China
Xi Jinping propôs iniciativas para desenvolvimento global na Assembleia Geral da ONU
Como contar uma viagem milenar em busca da lua?
Casal promove plantação ecológica na terra natal após graduação universitária