Diretor vencedor do Oscar Malcolm Clarke elogia grande força da China no combate à epidemia

Fonte: CRI Published: 2021-03-22 11:51:27
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

“Produzimos um filme totalmente diferente em homenagem à China”, disse o documentarista britânico, Malcolm Clarke. Nos últimos anos, ele focou sua lente no país oriental, cuja obra mais recente é um documentário sobre as ações antiepidêmicas de Wuhan que ainda está em pós-produção.

“Independentemente do que os outros pensem da China, no que diz respeito ao desempenho do país em meio à epidemia, sua resposta foi rápida e eficaz, derrotando finalmente o vírus”, disse ele. Na cúpula econômica do Fórum de Desenvolvimento da China 2021, realizada no último sábado (20), Clarke compartilhou suas experiências de filmagem em Wuhan, na qualidade de observador e testemunha.

Em março de 2020, Clarke e sua equipe de mais de 20 pessoas obtiveram permissão para entrar em Wuhan para filmar o documentário. Os entrevistados incluem comerciantes do mercado de frutos do mar, profissionais da saúde, voluntários e os primeiros infectados com o novo coronavírus. “Naquele momento, o mundo não sabia o que estava acontecendo. A comunidade científica também não tinha uma conclusão sobre o vírus. A cidade de Wuhan foi exagerada como um lugar muito perigoso”, disse Clarke.

“Todos os membros da minha equipe são cineastas. Eles vieram para a China sem nenhum preconceito político ou ideológico”, relata. Segundo Clarke, o país tem demonstrado uma força nacional extremamente forte nas ações antiepidêmicas. Além dos profissionais da saúde e operários da construção, os trabalhadores comunitários em Wuhan também impressionaram muito o grupo de filmagem.

“Esperamos que, por meio deste documentário, possamos compartilhar as histórias comoventes com todo o mundo. Há mais pessoas que conhecerão a extraordinária perseverança do povo chinês”, disse Clarke. Nos momentos difíceis na luta contra o surto, as opções decisivas tomadas pelos líderes chineses foram algo que os líderes ocidentais falharam em adotar.

Malcolm Clarke nasceu no Reino Unido e vive atualmente no Canadá. Ele empenha-se na criação de documentários e longas-metragens há mais de 40 anos, com pegadas em 80 países do mundo. Suas obras ganharam muitos prêmios de festivais internacionais de cinema, incluindo quatro indicações ao Oscar e duas vitórias, além de 16 estatuetas do Emmy.

Tradução: Zhao Yan

Edição: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Exercício de resgate médico por helicóptero realizado em Beijing
Um das melhores coisas para fazer na primavera é tomar banho de sol
Turistas visitam um jardim de chá na aldeia de Yongfu,província de Fujian
Turistas alimentam gaivotas no lago Dianchi em Kunming
Primeiro parque temático "Super Mario" aberto ao público na cidade de Osaka
Um labirinto de flores de colza em Chengdu atraiu vários visitantes

Notícias

Presidente da Gree dá sugestões sobre desenvolvimento de alta qualidade
Portugal planeja investir 12,1 bilhões de euros na reforma do sistema de saúde
Alta-comissária da ONU para Direitos Humanos critica racismo nos EUA e na Europa
Foto no Memorial Lincoln desmascara “igualdade americana”
Depois das entradas, temos ainda o jantar, diz porta-voz chinês ao comentar o ambiente tenso do diálogo China-EUA
Número de registros de direitos autorais de software na China aumentou 200 mil por ano em quatro anos consecutivos