Comentário: coletiva de imprensa em Wuhan decepciona os “teóricos da conspiração”

Published: 2021-02-10 21:58:35
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A mentira é simplesmente uma mentira e é tão frágil perante a ciência.

Na coletiva de imprensa realizada ontem (9) em Wuhan pela equipe de estudo conjunto China-OMS sobre as origens do novo coronavírus, o chefe da parte estrangeira, Peter Ben Embarek, disse que é extremamente improvável que o vírus tenha sido produzido e disseminado em laboratório e os trabalhos futuros não vão ser promovidos nesta direção. Tal conclusão retificou mais uma vez a fama do Instituto de Virologia de Wuhan que foi difamado e vai decepcionar os políticos e as mídias ocidentais que produziram a “teoria da conspiração” sobre a origem do Covid-19.

Além disso, a mentira de que a China teria impedido as pesquisas também foi refutada. Nos últimos dias, a equipe estudou um grande número de materiais e visitou locais afetados pela pandemia, bem como médicos, enfermeiros, cientistas, comerciantes, entre outros.

Como membro da equipe, o Dr. Peter Daszak disse em uma coletiva à Bloomberg que estavam juntos com os especialistas chineses todos os dias, visualizando informações e novos dados. O pessoal chinês sempre satisfez as exigências da equipe quanto à visita de locais ou pessoais concernentes.

Tudo isso comprova que a China sempre teve uma atitude transparente no rastreamento das origens do novo coronavírus e apoia firmemente os trabalhos da OMS. As notícias sobre o impedimento chinês no rastreamento são infundadas.

De fato, tais notícias não deveriam surgir, porque o rastreamento das origens do vírus é claramente um problema científico e não tem nada a ver com política. O objetivo da pesquisa é descobrir a verdade e evitar a expansão da pandemia.

De acordo com os resultados preliminares obtidos pela equipe, é bastante possível que o novo coronavírus tenha sido transmitido através de um hospedeiro para seres humanos. Também há a possibilidade de o coronavírus ter sido transmitido diretamente para seres humanos ou através de produtos em cadeias frias, o que mostra a necessidade do rastreamento das origens do novo coronavírus no âmbito global.

Já foram publicadas notícias sobre o surto de Covid-19 que aconteceu no segundo semestre de 2019 em vários locais do mundo. É necessário responder a tais notícias enquanto fazem o rastreamento. Segundo o chefe da parte chinesa da equipe de estudo, Wu Zunyou, esta pesquisa tem parte na China sobre rastreamento das origens da SARS e do novo coronavírus que serve como base para os trabalhos concernentes em outros países.

O mundo deve conhecer melhor a transparência da China ao adotar medidas de enfrentamento à pandemia. No início do surto, a China informou imediatamente à OMS e comunidade internacional sobre o incidente. Mais tarde, a China promoveu cooperações internacionais no combate ao Covid-19 e transportou máscaras para o resto do mundo. O país asiático mandou ainda grupos médicos para ajudar outros países e persiste no conceito de que as vacinas devam ser bens públicos. Tudo isso mostra o senso de responsabilidade da China e o espírito de comunidade de futuro compartilhado.

Devemos deixar os problemas científicos para as ciências e os profissionais lidarem com os assuntos de maneira profissional, que é a atitude que os seres humanos devem ter ao enfrentar a pandemia. As provas atuais já mostram que o rastreamento das origens do novo coronavírus é necessário e urgente. Esperamos que as partes envolvidas possam adotar uma atitude positiva neste problema e convidar a OMS para realizar pesquisas em seus países, a fim de contribuir para a redução de riscos de outras pandemias.

O secretário-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, apelou no seu discurso do ano novo, dizendo que todo o mundo deve tirar lições e combater a pandemia de mãos dadas.

Tradução: Li Jing

Revisão: Gabriela Nascimento

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Festival de lanternas em Nanjing atrai turistas
Um espaço de experiência de arte abriu ao público em Beijing
Estádios de competição dos Jogos Olímpicos de Inverno de Beijing
Festival de Xiaonian é celebrado na cidade Qingzhou, província de Shandong
Lichun (Início da Primavera), o primeiro dos 24 termos solar no calendário lunar chinês
As ruas de Shenyang decoradas com esculturas e lanternas para saudar a chegada da Festa da Primavera

Notícias

Presidente da Comissão Europeia profere discurso sobre estratégia de vacinação da UE
Brasil registra mais 1.350 mortes causadas pela COVID-19
Xi Jinping estende saudações da Festa da Primavera a todos os chineses
Imprensa estrangeira: Ano Novo Chinês é celebrado sem deslocações
Todos os preparativos para Gala do Festival da Primavera 2021 estão prontos
China e CEEC terão mais oportunidades de cooperação, afirma Xi Jinping