Comentário: O que está por trás da suspensão do ensaio clínico da Coronavac no Brasil?

Fonte: CRI Published: 2020-11-14 20:03:57
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Dia 9, horário local, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil (Anvisa) anunciou de repente a suspensão temporária dos testes da vacina chinesa Coronavac em humanos no país devido à morte de um voluntário durante os ensaios. Alguns políticos questionaram a qualidade da vacina pesquisada pela China antes do resultado da investigação ser divulgado. Mas, a polícia rapidamente confirmou que o voluntário cometeu suicídio. O Instituto Butantan, responsável pelos ensaios clínicos, também declarou que a Coronavac é segura e que o falecimento do voluntário não tem relação com a vacina. Desta forma, os testes da vacina foram reiniciados.

Algumas mídias brasileiras apontaram que por trás desse incidente, estão alguns fatores políticos.

Primeiro, a Anvisa disse que o voluntário morreu em 29 de outubro, mas somente 9 de novembro recebeu o aviso do Instituto Butantan. Porém, isso foi negado pelo diretor da Instituição, Dimas Covas, no dia 10. Ele disse que os dados foram transparentes e que a Anvisa já deveria ter recebido o aviso no dia 6.

Segundo, logo que a Pfizer dos EUA anunciou que sua vacina tem uma eficácia maior que 90%, foi notificada a “reação adversa grave” da Coronavac. Será que isso é apenas uma coincidência?

Terceiro, após o incidente, alguns veículos de imprensa ocidentais atacaram coletivamente a segurança da vacina chinesa, fazendo parecer com que tivessem um entendimento tácito. Qual é a intenção deles?

O vírus não tem posição política. Seja para fins políticos domésticos ou para considerações geopolíticas, se alguém politizar deliberadamente a vacina, só prejudicará a si mesmo. Sobre isso, as pessoas com mente lúcida no Brasil possuem um entendimento claro. Por exemplo, um colunista do Globo disse que a conduta de suspender o teste clínico antes da investigação tornará o assunto complicado.

Hoje, a pandemia continua se espalhando pelo mundo. Todos esperam que a vacina seja disponibilizada o mais cedo possível. A China, como uma vanguardista na pesquisa da vacina, já possui quatro vacinas contra o Covid-19 que estão em ensaios clínicos em vários países e já se revelaram seguras preliminarmente. Em setembro, os Emirados Árabes Unidos aprovaram com urgência o uso da vacina chinesa no país.

A China já afirmou em várias ocasiões que a vacina contra o Covid-19, depois da conclusão da pesquisa, será usada como um produto de saúde público global para garantir que os países em desenvolvimento tenham acesso a ela. A China já participou do COVAX, o que tem grande significado para promover a distribuição justa da vacina e para a luta mundial contra o vírus.

“Você arrancou a página mais cruel do calendário do sofrimento humano.” Frase dita há 200 anos pelo então presidente dos EUA ao doutor britânico, Edward Jenner, quem inventou a primeira vacina contra a varíola. Hoje, para sair da miséria, as pessoas também necessitam do respeito à ciência, à unidade e à cooperação. A politização da vacina não deveria ser um obstáculo para a humanidade vencer o Covid-19.

Tradução: Florbela Guo

Revisão: Erasto Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Jovens participam de jogos divertidos em Neijiang, província de Sichuan
Artista vietnamita cria réplicas em miniatura de pratos tradicionais
Parque Nacional do Lago Aha em Guiyang
Moradores de Rongjiang colhem laranjas de umbigo
O maior elevador do mundo
Trem suspenso de monotrilho realizou a condução não tripulada na linha de teste

Notícias

Comentário: O que está por trás da suspensão do ensaio clínico da Coronavac no Brasil?
As preocupações de Xi Jinping durante a inspeção de Jiangsu
China não poupa esforços para desenvolvimento de vacina da COVID-19
Xi Jinping inspeciona cidade de Nantong
Xi Jinping elogia industrial modelo da China
Comentário: abertura institucional de alto nível de Pudong