Projeto de realocação beneficia a população pobre da região das montanhas Qilian

Fonte: CRI Published: 2020-10-16 10:00:51
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn


Nos últimos anos, o distrito de Minle da cidade de Zhangye, na província de Gansu, implementou uma série de projetos de realocação de residentes, de forma a promover a eliminação da pobreza e melhorar as condições de habitação dos moradores. Os aldeões que viviam em áreas de 2.400 metros acima do nível do mar nas montanhas Qilian foram reassentados no parque ecoindustrial e conseguiram um emprego nas proximidades.

No sopé das montanhas Qilian, 40 quilômetros ao norte do distrito de Minle, há uma comunidade residencial cercada por árvores e com ambiente muito habitável. Todas as infraestruturas necessárias estão disponíveis, como o centro de serviço comunitário, praça cultural, campo esportivo e supermercado de conveniência. Os idosos dançam sempre na praça e as crianças gostam de brincar no jardim. Wang Cheng, de 61 anos de idade, é um dos moradores da comunidade.

Ele morava em uma velha casa danificada, que sempre tinha goteiras ao chover. A rua em frente à casa estava muito empoeirada e ficava lamacenta e difícil de andar depois de chuva. Quando ficava doente, ele só podia ir ao hospital no distrito de Minle, mas a viagem levava uma hora de ônibus.

Em 2018, Wang Cheng e outros aldeões mudaram-se para a nova zona residencial e encontraram um emprego nas empresas próximas. No passado, ele trabalhava com cultivo agrícola e ganhava apenas cinco ou seis mil yuans por ano. Sua renda anual estava ligada estreitamente com as condições climáticas. Agora, seu salário atual é de mais de quatro mil por mês.

Assim como Wang Cheng, muitos aldeões desta região se livraram da pobreza. Atualmente, a comunidade residencial em que eles moram ocupa uma área de 377 mus (unidade chinesa=1/15 hectare) e conta com 1.019 famílias realocadas e 3.985 habitantes.

Segundo a diretora do departamento de comunicação do distrito de Minle, Wang Chunyan, há atualmente 142 empresas no parque ecoindustrial, que é capaz de fornecer mais de 20 mil postos de trabalho. Uma base de demonstração ecológica de cultivo industrializado em estufa inteligente foi estabelecida nesse parque, contribuindo para a promoção do desenvolvimento da agricultura ecológica e o aumento da receita dos moradores locais.

Todos os trabalhadores na base são de famílias pobres realocadas. Através de treinamento individual de mais de um mês, eles podem dominar as técnicas de cultivo e colheita de vegetais e frutas. O salário médio dos aldeões é cerca de 4.200 yuans por mês e o máximo pode chegar a mais de 8 mil yuans.

Tradução: Zhao Yan

Edição: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Reserva nacional de Daqinggou na Mongólia Interior
Agricultores de Sichuan começam a colheita das ameixas vermelhas
Paisagem de outono do Lago Yanqi, no distrito de Huairou em Beijing
Shenzhen: 40º aniversário de criação de Zona Econômica Especial
Ferrovia de alta velocidade impulsiona o turismo de Guizhou
Parque coberto de gramas cor de rosa atrai mais turistas em Fuzhou

Notícias

Projeto de realocação beneficia a população pobre da região das montanhas Qilian
Vila de Shengli na Região Autônoma Zhuang de Guangxi alcançará a vitória na batalha contra a pobreza
CCPIT fica no segundo lugar para prêmio do ITC
Imunidade de grupo é como massacre, diz cientista norte-americano
Brasil reduz salário ou suspende contrato de mais de 9,7 milhões de trabalhadores durante pandemia
Brocado da etnia Li auxilia no aumento da renda na província de Hainan