Comentário: Políticos estadunidenses que espalham boatos de Xinjiang são os maiores violadores dos direitos humanos

Fonte: CRI Published: 2020-07-17 21:32:41
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, o conselheiro dos Assuntos de Segurança Nacional, Robert C.O'Brien, e alguns outros políticos estadunidenses difamaram repetidamente a política chinesa para com Xinjiang, espalhando boatos, como a existência em Xinjiang de uma “prisão de grande escala”, “trabalho obrigatório” e “controle populacional”. Eles não possuem nenhuma evidência. e suas mentiras foram desmascaradas uma após à outra.

De fato, a polícia chinesa da administração de Xinjiang é justamente a maior proteção dos direitos humanos dos residentes. Graças à política “desextremista”, Xinjiang está sem incidentes terroristas e violentos há mais de três anos. Ao mesmo tempo, o governo local faz o máximo de esforço para garantir o direito de emprego de todas as etnias. Desde 2018, 151 mil trabalhadores excedentes de famílias pobres no sul de Xinjiang se tornaram trabalhadores migrantes com renda anual per capita acima de 45 mil yuans.

Ao longo dos 71 anos desde a fundação da República Popular da China, o Partido Comunista da China tem seguido o princípio de Servir o Povo e liderado o povo a construir o país, tornando-o a segundo maior economia do mundo. A contribuição chinesa no crescimento do PIB global ultrapassou 30% em vários anos. Nas últimas quatro décadas desde a aplicação da reforma e abertura, a renda média dos chineses aumentou em 25 vezes. 850 milhões de pessoas saíram da pobreza. Um relatório do Banco Mundial aponta que a aplicação completa da iniciativa do Cinturão e Rota ajudará 32 milhões de pessoas a se livrarem da pobreza moderada ao redor do mundo. Qualquer pessoa sem preconceito concorda que o desenvolvimento pacífico da China é a maior contribuição para a causa global dos direitos humanos.

Os EUA, que alegam ser defensores dos direitos humanos, são na verdade os maiores violadores do mesmo. Segundo estatísticas, em 240 anos desde a fundação do país, há apenas 16 anos que não tem guerras. O país lançou guerras ou ações militares ilegais contra o Iraque, Líbia, Síria, Afeganistão e outros países nos últimos 20 anos, causando grande crise humanitária e violação de direitos humanos.

Nos EUA, a riqueza de 0,1% das famílias mais ricas representa a soma da riqueza de 90% das famílias pobres. Após o surto, os mais ricos gozaram da prioridade no teste do novo coronavírus, a taxa de óbitos nos grupos minoritários étnicos e de baixa renda é muito mais alta do que a nos grupos de pessoas brancas. O recente incidente em que o afro-americano Freud foi assassinado por policiais brancos nas ruas revelou que o status dos direitos humanos nos EUA já está fazendo com que as minorias étnicas “não consigam mais respirar”.

A conduta dos EUA em reprimir a reputação internacional da China usando os direitos humanos como ferramenta política não engana o mundo e parece muito estúpida, segundo o diretor do Centro de Pesquisa Estratégica dos Países do Brics das Filipinas, Mario Ferdinand Pasion. Na recente reunião do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, 46 países publicaram uma declaração conjunta, elogiando o desenvolvimento da causa de direitos humanos em Xinjiang e criticando fortemente os EUA pela provocação contra a China nesta questão. Isso só mostra que a justiça está no coração da maioria das pessoas.

Tradução: Florbela Guo

Revisão: Erasto Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista da ponte Lugou em Beijing
Moradores evacuados e levados para abrigo temporário no distrito de Zhoutou, província de Anhui
Polícia armada participa de operações de controle de enchentes em Jiangxi
Pessoas se divertem em parque aquático de Hebei
Trabalhadores alimentaram bebês antílopes na reserva de proteção do lago Zhuonai
Jiangxi eleva a resposta às inundações ao mais alto nível

Notícias

Maioria dos primeiros casos de COVID-19 em Nova York remontam à Europa
Os dois lados do Estreito de Taiwan devem salvaguardar a soberania da China
Chanceler chinês realiza reunião com ministros das Relações Exteriores do C+C5
Identificadas pelo menos seis cepas diferentes do novo coronavírus no Brasil
RAEHK opõe-se fortemente à assinatura da "Lei de Autonomia de Hong Kong"
Huawei diz que proibição britânica pode levar Reino Unido à pista lenta digital