Comentário: China se esforça para alcançar as metas de desenvolvimento para 2020

Fonte: CRI Published: 2020-05-22 21:17:27
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Em função da propagação do COVID-19 no mundo inteiro, o governo chinês não publicou a perspectiva sobre o crescimento da economia nacional deste ano no relatório de trabalho apresentado hoje (22) pelo primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, na sessão anual da Assembleia Popular Nacional (APN).

Segundo prevê o Fundo Monetário Internacional, a economia global pode diminuir 3%, o que será a mais grave recessão desde a crise econômica de 1929. Respeitando as regras econômicas, o governo chinês abriu mão de dar uma meta específica para a economia. Apesar disso, enfatizou a missão de vencer a batalha contra a pobreza e concluir a construção de uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos, formulando as exigências para estabilizar a taxa de emprego e garantir o bem-estar do povo. O jornal australiano Financial Review comentou que desta vez a China decidiu não seguir a tradição de definir uma taxa concreta para o aumento econômico pelo fato de priorizar a vida das pessoas.

De fato, o desenvolvimento econômico da China pode ser refletido através de outros índices. Como por exemplo, o relatório apontou que o país criará mais de 9 milhões de novos empregos urbanos se manter a taxa de desemprego urbano pesquisada em cerca de 6%, e garantirá que o aumento de preço ao consumidor não ultrapasse 3,5%.

O relatório ressaltou o princípio das “seis estabilidades e seis garantias”. Configuram a primeira categoria: “estabilizar emprego, finanças, comércio exterior, capitais estrangeiros, investimentos e trabalhos já planejados”. Já na segunda serão: “garantir o emprego dos residentes, a subsistência básica das pessoas, os principais participantes do mercado, a segurança alimentar e energética e a estabilidade da cadeia industrial e de suprimentos”.

Visando minimizar o impacto do COVID-19, o governo chinês cortará os impostos e taxas para reduzir a carga empresarial em mais de 2,5 trilhões de yuans, intensificando ao mesmo tempo o apoio financeiro para estabilizar as operações comerciais. Planejará estabelecer seu deficit fiscal acima de 3,6% do PIB, resultando em um aumento do deficit de um trilhão de yuans (US$ 141 bilhões) em relação ao ano passado. Também serão emitidos um trilhão de yuans em títulos governamentais para o controle do surto.

O relatório reiterou ainda a abertura ao exterior de mais alto nível e a promoção do comércio e investimento, o que ajudará a defender a cadeia internacional de indústrias e suprimentos, estabilizando assim a economia mundial.

A China está disposta a se esforçar para alcançar as metas de desenvolvimento com determinação e capacidade.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Nanjing realizou uma competição de secagem de chá
Famílias pobres eliminam a pobreza por meio de programa de sericicultura
Parque nacional do pântano urbano Huaxi em Guiyang
Quinze casais tiram fotos de casamento em Nanjing
As autoridades locais de Fuzhou realizam transmissões ao vivo para promover o turismo
Geoparque nacional de Qibainong em Guangxi

Notícias

Especialistas chineses compartilham experiência com médicos moçambicanos sobre COVID-19
China manterá prosperidade e estabilidade de Hong Kong e Macau a longo prazo
China adotará projetos para proteção e recuperação de ecosistema
China diminuirá mais de 2,5 trilhões de yuans de ônus para as empresas
China aperfeiçoará sistema de saúde pública
Governo chinês não define taxa de crescimento da economia neste ano