Xi Jinping pede a construção da comunidade global de saúde integrada

Fonte: CRI Published: 2020-05-18 21:24:33
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O presidente chinês, Xi Jinping fez um discurso intitulado “Vencer a pandemia com solidariedade e cooperação e construir uma comunidade global da saúde integrada” na cerimônia de abertura da 73ª Assembleia Mundial da Saúde realizada nesta segunda-feira (18) por videoconferência.

O presidente chinês apontou que o COVID-19 já se tornou a crise sanitária mais severa desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Expressou condolência aos falecidos e solidariedade aos seus familiares. Ele disse que a história da civilização humana é também uma cronologia de lutas contra doenças e desastres. O vírus não respeita fronteiras e nem distingue raças. “Com amor e compaixão, forjamos uma sinergia extraordinária na luta contra o COVID-19,” disse Xi Jinping.

O líder chinês ainda salientou que o país tem persistido em priorizar a vida dos cidadãos, conseguindo controlar a situação com esforços árduos e enormes sacrifícios. Com atitude aberta, transparente e responsável, a China informou o mais rápido possível a Organização Mundial da Saúde (OMS) e os países relacionados sobre o COVID-19 e compartilhou, sem reserva alguma, as experiências do tratamento.

“A contínua propagação do vírus nos exige maiores esforços de controle e tratamento,” sublinhou Xi Jinping. Ele sugeriu que devemos confiar na liderança da OMS, fortalecer o apoio aos países africanos, reforçar a governança global em saúde pública, retomar o desenvolvimento econômico e social, bem como consolidar a cooperação internacional.

No discurso, Xi Jinping anunciou ainda cinco medidas para promover a cooperação internacional na saúde púbica. Nos próximos dois anos, o país oferecerá U$ 2 bilhões para apoiar o combate ao COVID-19 e o desenvolvimento econômico e social dos países afetados, sobretudo os em desenvolvimento, além de cooperar com a ONU para estabelecer na China um armazém e uma central de resposta à emergência global, com vistas a garantir o funcionamento da cadeia de suprimentos antiepidêmicos.

A China planeja estabelecer um mecanismo de cooperação de seus hospitais com 30 hospitais africanos e acelerar a construção do quartel do centro de controle e prevenção da África. Assim que a vacina chinesa estiver concluída, ela será disponibilizada como um bem público global. Por último, a China trabalhará com o G20 para implementar a Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida para os países mais pobres, a fim de dar apoio a eles para superar as dificuldades atuais.

Tradulção: Isabel Shi

Revisão: Erasto Santo Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Shantou: uma cidade diversa, rica em história
Xiamen, um jardim sobre o mar
Belo dia de sol em Beijing
Shenzhen: uma cidade moderna, energética, internacionalizada e de moda
Idosos praticam aeróbica tradicional no parque Templo do Céu em Beijing
Próspera indústria de plantação de pêras em Xinjiang

Notícias

Emissão de títulos da China chega a US$ 680 bilhões em julho
Aldeia na região montanhosa de Chongqing está mais acessível e tecnológica
72% dos ingressos do Festival Internacional de Cinema de Beijing são vendidos em 10 minutos
​Começa construção do CMG Copyright Trade Center em Shanghai
Xi Jinping: PCCh sempre terá sucesso se governar para o povo
Mianmar inicia 4ª reunião da Conferência de Paz de Panglong do Século 21