​China opõe-se firmemente à estigmatização no combate à epidemia

Published: 2020-03-23 12:26:00
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Recentemente o presidente norte-americano, Donald Trump, chamou o coronavírus de “vírus chinês”, denominação racista, nas redes sociais e ocasiões públicas por repetidas vezes. A imprensa disse que em meio ao crescente número de infeções nos EUA, Washington quer usar a China como “bode expiatório”.

O ato de Trump foi criticado por personalidades de diversos setores.

A democrata Hillary Clinton disse o seguinte na rede social: “O presidente está recorrendo à retórica racista para desviar a atenção das pessoas e encobrir seu fracasso em levar o coronavírus a sério desde o início, disponibilizar amplamente os testes e preparar adequadamente o país para um período de crise. Não caia nessas palavras. Não deixe seus amigos e familiares cairem nessas palavras.”

O presidente russo, Vladimir Putin, lembrou que o governo chinês adotou medidas efetivas, não só controlando a epidemia no país, mas também contribuindo com seu esforço à segurança da saúde das populações do mundo. A parte russa elogia os esforços da China e se sente satisfeita com isso. Além disso, a China forneceu assistências a tempo aos países afetados pela epidemia, estabelecendo um bom exemplo para a comunidade internacional. O ato chinês é uma resposta de voz alta à ameaça e estigmatização de algum país.

O diretor do projeto de emergência da OMS, Michael Ryan, assinalou que o vírus não tem fronteiras, nem distingue a raça, a cor da pele, ou riqueza de pessoas. Por isso, deve-se evitar a ligação do vírus com determinadas pessoas.

O conselheiro de Estado e chanceler chinês, Wang Yi, conversou por telefone nos dias 18 e 19, com os colegas da Rússia, Indonésia, Holanda, Singapura e França. Nas ocasiões, Wang Yi reiterou que a China se opõe firemente a todos os atos de estigmatização da epidemia ou voltados a determinado país. Como o vírus se dissemina além das fronteiras, a pandemia é um inimigo comum da humanidade e precisa de união e tratamento conjunto da comunidade internacional.

Tradução: Xia Ren

Revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Os restaurantes de hotpot em Chengdu retomam os negócios com medidas de prevenção
Flores de cerejeira desabrocham em Beijing
Os alunos de Qinghai iniciaram novo semestre com medidas de prevenção mais rigorosas contra o novo coronavírus
Agricultores colhendo folhas de chá em uma plantação
Torre Pérola Oriental de Shanghai reabre ao público
Pacientes receberam alta hospitalar e terminaram a quarentena de 14 dias para observação médica em Wuhan

Notícias

Ex-alta funcionária estadunidense acusa Trump de dissolver escritório de prevenção epidêmica
Comentário: Tratar China como bode expiatório não ajuda a combater a epidemia
Recrutamento no Aplicativo Yangshipin oferece 210 mil vagas de emprego
​China opõe-se firmemente à estigmatização no combate à epidemia
​Senadores norte-americanos obtiveram lucros acionários com informação privilegiada antes do começo da pandemia
Senado e Câmara dos Deputados do Brasil pedem desculpas à China por declaração de Eduardo Bolsonaro