Comentário: Pedir para a China se desculpar é irrazoável e absurdo

Fonte: CRI Published: 2020-03-05 21:34:03
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

“O estigma é mais terrível do que o próprio vírus. Deixe-me enfatizar novamente que o estigma é onosso pior inimigo.” Numa recente coletiva de imprensa da Organização Mundial da Saúde, o diretor-geral, Tan Desai, expressou angústia com o estigma que surgiu na luta global contra a epidemia.

A China, como o país que teve o surto mais cedo, sofreu o mais grave estigma. Houveram veículos de mídia que chamaram de forma infundada o vírus de “vírus da China”. Alguns políticos dos EUA espalharam boatos de que o novo coronavírus é uma arma bioquímica vazada de um laboratório de Wuhan. Recentemente, um apresentador da TV da Fox até chegou a dizer que "[…] o novo coronavírus se originou na China" e ainda pediu aos chineses que se desculpassem formalmente.

Queremos perguntar a esse apresentador: Em 2009, o surto da gripe H1N1 nos EUA se espalhou para 214 países e regiões, deixando 300 mil mortos no mundo todo. Alguém pediu para os Estados Unidos se desculparem? Além disso, ainda não há certeza sobre a origem do novo coronavírus. A China, assim como outros países com o surto, é apenas mais uma vítima do vírus. As medidas de prevenção e controle mais abrangentes e rigorosas adotadas pela China não apenas protegeram a vida e a saúde de seu povo, mas também defende efetivamente a segurança da saúde pública global.

Agora, a epidemia está se propagando em todo o mundo. Até as 18:00h do dia 4, os casos infectados confirmados fora da China ultrapassaram 13.000 e estão em 76 países. Alguns são de origem desconhecida, como por exemplo, dois casos no estado da Califórnia nos EUA não viajaram para regiões de surto nem tiveram contato estreito com infectados confirmados, e os primeiros dois casos confirmados no Irã também não haviam viajado para a China.

O especialista chinês em doenças respiratórias, Zhong Nanshan, enfatizou que, embora o vírus tenha aparecido primeiro na China, possivelmente não é o seu local de origem. Justamente por isso, o apresentador da TV FOX foi interrompido por um colega que perguntou: “E se o novo coronavírus tivesse se originado aqui (EUA)?”

A razão pela qual a OMS nomeou o novo vírus de "COVID-19" é justamente para evitar associar o vírus a qualquer região ou país e causar discriminação geográfica. Michael Ryan, chefe do Programa de Emergência em Saúde da OMS, afirmou: "O coronavírus é um fenômeno global que existe em todo o mundo. Ele poderia ter aparecido em qualquer lugar e é um evento infeliz na história natural. É importante não culparmos sua origem geográfica, e sim nos focar em como lidar com ele e contê-lo.”

Tradução: Florbela Guo

Revisão: Erasto Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Funcionários permanecem em trabalho em meio ao surto epidêmico
Palácio Potala oferece passeio turístico virtual por streaming ao vivo
Paisagem de primavera na província de Shaanxi
Pacientes infectados pelo novo coronavírus se recuperam e recebem alta hospitalar em Wuhan
Os bailarinos demonstram movimentos durante curso online
Agricultores colhem vegetais para garantir o fornecimento do mercado

Notícias

Moeda chinesa se fortalece contra dólar americano pelo quinto dia consecutivo
Investimento em 5G da China deve atingir recorde, diz relatório
Regiões de nível distrital na Mongólia Interior da China saem da pobreza
Bancos chineses aprimoram serviços para economia real em meio à luta epidêmica
China emite aviso de cuidados para trabalhadores comunitários contra vírus
​Redução da taxa de juro pela Fed não alivia preocupação pela estagnação econômica