​Comentário: Rumores e preconceito não devem prejudicar prevenção e controle da epidemia

Fonte: CRI Published: 2020-02-09 20:16:18
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O diretor-geral da OMS, TedrosAdhanomGhebreyesus, disse no dia 8 que a entidade não só trabalhará para reprimir a contaminação do novo coronavírus, mas também combaterá informações erradas e conspirações que tentem prejudicar o trabalho. Tedros salientou que as informações erradas dificultam ainda mais o trabalho da saúde, desviam a atenção dos tomadores de decisão, geram e transmitem pânico ao público. Por isso, a OMS está estabelecendo uma equipe para divulgar informações verdadeiras e combater a difusão de informações falsas.

No momento chave da prevenção e controle da epidemia, as observações do chefe da OMS e as medidas tomadas pela entidade possuem significado realístico para reprimir a difusão de rumores e destruição do trabalho feito.

Desde o início da epidemia do novo coronavírus, a China detectou o patógeno o mais rápido possível que bateu recorde, compartilhou as sequências dos genes virais, publicou as informações sobre a epidemia de forma transparente, e tomou medidas resolutas para reprimir a contaminação do vírus, medidas que foram elogiadas e apoiadas pela comunidade internacional. Como mencionou o diretor-geral da OMS, as medidas tomadas pela China para lidar com a epidemia são resolutas e eficazes, protegendo seus cidadãos e impedindo maximamente a difusão da epidemia para outros países, o que representa responsabilidade, confiança e capacidade da China.

Entretanto, alguns políticos e mídias ocidentais ignoraram a urgência e o efeito positivo das medidas da China, publicaram informações falsas e difamaram a China, o que intensificou o pânico, infamou os esforços chineses no combate à epidemia, e prejudicou a cooperação internacional neste combate. Além disso, alguns países reagiram de forma exagerada sobre a epidemia, levando ao surgimento de palavras e ações insultuosas e discriminatórias aos cidadãos chineses.

Neste momento, a comunidade internacional está torcendo pela China. O primeiro-ministro espanhol, PedroSánchez, escreveu em rede social que ninguém é vírus, mas a xenofobia é o verdadeiro vírus. Para o primeiro-ministro de Cingapura, LeeHsienLoong, os incidentes da saúde não são questões entre Estados e etnias e os desafios serão vencidos pelos esforços de todos os países.

O vírus é o inimigo comum da humanidade. As medidas mais completas e rigorosas tomadas pela China não só são para proteger os próprios chineses, mas também para a população do mundo inteiro. Perante essa ameaça comum, todos os países devem fazer coberturas mais objetivas e imparciais, a fim de eliminar o “vírus político” como preconceitos, rumores, e informações falsas.

Tradução: Xia Ren

Revisão: Gabriela Nascimento

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Wuhan estabelece mais hospitais temporários para garantir tratamento de pacientes
Hospital Huoshenshan começou a receber pacientes infectados com coronavírus
Funcionários produzem equipamentos de proteção para ajudar no combate ao novo coronavírus
Construção do hospital Huoshenshan completada
Como passar a Festa da Primavera?
Cerca de 400 cisnes voaram recentemente para o rio Peacock em Korla

Notícias

Adido naval do Brasil refuta rumor sobre coronavírus e torce por Wuhan
Governo chinês enfatiza retomada de produção e reforço da prevenção do vírus
Chancelaria chinesa enfatiza segurança e saúde garantida dos estrangeiros
China adotará mais medidas para garantir fornecimento de suprimentos para controle da epidemia
Presidente brasileiro afirma apoio e amizade ao povo chinês
19 estrangeiros na China foram contagiados pela nova pneumonia