Chancelaria chinesa: Países da Ásia Central conhecem mais Xinjiang do que EUA

Fonte: CRI Published: 2019-12-31 21:21:26
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O porta-voz da Chancelaria chinesa, Geng Shuang, afirmou hoje (31) que os cinco países da Ásia central são vizinhos da Região Autônoma Uigur de Xinjiang, por isso, conhecem mais a realidade da região do que os EUA.

O Departamento de Estado dos EUA anunciou que o secretário de Estado do país, Mike Pompeo, visitará o Cazaquistão e o Uzbequistão e participará da reunião dos chanceleres dos Cinco Países da Ásia Central e EUA. Segundo a mesma fonte, será discutida a questão de Xinjiang nos diálogos bilaterais e durante a reunião.

Na coletiva de imprensa regular, Geng Shuang afirmou que a China e os países da Ásia central são bons vizinhos e parceiros estratégicos, por isso, possuem mais direito de fala sobre a questão de Xinjiang. Geng disse que a China acredita que os governos e povos dos cinco países são determinados, assim como a parte chinesa, na luta contra as forças extremistas, terroristas e separatistas, e que podem resistir a qualquer provocação externa.

Tradução: Florbela Guo

Revisão: Erasto Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Paisagem de inverno da Montanha Emei, na província de Sichuan
Fotos aéreas da Ilha Yagong do arquipélago de Xisha, no Mar do Sul da China
Show de luzes em Wuhan
​Sanya, um perfeito destino turístico para fugir do frio do inverno
Parque temático mundo de gelo e neve abriu ao público
Entusiastas de esqui se divertem no Resort do Lago Songhua em Jilin

Notícias

Comentário: China esforça-se para se desenvolver junto com o mundo
Chancelaria chinesa: Países da Ásia Central conhecem mais Xinjiang do que EUA
Discurso de Xi Jinping pela passagem do ano novo de 2020
​Alívio da pobreza por comércio eletrônico cobre todos os distritos pobres
Xi Jinping enfatiza os preparativos para os Jogos Olímpicos de Inverno com abertura de nova ferrovia de alta velocidade
China refuta difamação dos EUA sobre luta antiterrorista em Xinjiang