Comentário: inovação torna-se nova força motriz do desenvolvimento da China

Fonte: CRI Published: 2019-12-28 19:43:23
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Nesta sexta-feira (27) à noite, a China lançou o terceiro Longa Marcha-5, o maior foguete portador do país, do Centro de Lançamento Espacial de Wenchang na Província de Hainan, sul da China. Mais de 200 tecnologias chaves foram empregadas no projeto.

Esta sexta-feira marca também o aniversário de um ano do fornecimento do serviço global pelo Sistema de Satélites de Navegação BeiDou-3 (BDS-3) da China. O país lançou 10 satélites BDS ao espaço em 2019.

A inovação científica e tecnológica se tornou uma nova força motriz do desenvolvimento qualitativo chinês.

Desde o sucesso no desenvolvimento de sementes clonadas de arroz híbrido à inauguração do Aeroporto Internacional Daxing de Beijing, do lançamento de foguete sobre o mar ao avanço conseguido no estudo sobre o problema da resistência à artemisinina, a China conseguiu em 2019 um resultado satisfatório nas áreas de ciência e tecnologia.

A revista britânica Nature colocou o pouso da sonda chinesa Chang'e-4 no lado oculto da Lua na lista das dez maiores notícias científicas de 2019. No ranking mundial do índice de inovação 2019, publicado pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual, a China subiu três posições, chegando ao 14º lugar.

Na atualidade, a China é o segundo país do mundo que mais investe em pesquisas e desenvolvimento. O país asiático incentiva empresas a serem a principal força da inovação científica e tecnológica. As empresas chinesas ocupam um peso superior a 75% no mercado de inovação em termos de investimentos, número de pesquisadores e patentes. O WeChat Pay, por exemplo, ganhou o prêmio Real Innovation Awards 2019 outorgado pela London Business School.

Também em 2019, a tecnologia 5G entrou no uso comercial na China. Apesar da ascensão do unilateralismo, o país asiático manifestou a vontade de compartilhar com o mundo seus novos resultados de pesquisa científica e tecnológica.

Segundo o plano, a China deve completar o sistema de satélites Beidou-3 no ano que vem. O sucesso do voo da Longa-Marcha 5 serve como base para uma série de futuros projetos espaciais do país, incluindo a exploração de Marte, o traslado de amostras lunares e a construção de sua própria estação espacial.

A inovação autônoma vai continuar impulsionando a China a integrar o mundo.

Tradução: Inês Zhu; Revisão: Gabriela Nascimento

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Show de luzes em Wuhan
​Sanya, um perfeito destino turístico para fugir do frio do inverno
Parque temático mundo de gelo e neve abriu ao público
Entusiastas de esqui se divertem no Resort do Lago Songhua em Jilin
Paisagem de inverno na montanha Tianmen, Zhangjiajie, província de Hunan
Festa de gala em celebração ao retorno de Macau

Notícias

Reunião de liderança do PCCh sublinha importância de permanecer fiel à missão fundamental do Partido
Foguete Longa Marcha-5 é lançado com sucesso
Relação China-Rússia entrou na nova era em 2019
Comentário: É assim que nasceu a grande mentira sobre Xinjiang!
Diplomacia chinesa de 2019: China com maior abertura dá boas-vindas ao mundo
Cinturão e Rota abre novo espaço para o crescimento econômico mundial