Comentário: abertura é palavra-chave do desenvolvimento chinês em 2019

Fonte: CRI Published: 2019-12-26 19:07:43
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A Comissão de Tarifas Alfandegárias do Conselho de Estado chinês anunciou recentemente que baixará, a partir do dia 1º de janeiro de 2020, os impostos sobre alguns produtos importados.

Hoje (26), um porta-voz do Ministério do Comércio da China disse que a decisão é mais uma medida a ser tomada pelo país para ampliar a abertura do seu mercado ao mundo, favorecendo a importação de produtos de alta qualidade.

Na realidade, “abertura” foi uma das palavras-chave do desenvolvimento da China em 2019, além de ser um fator crucial para o país criar benefícios ao mundo.

Por um lado, a China continuou promovendo a reforma do seu sistema alfandegário, além de aumentar a facilitação para seu comércio com o exterior. O país reduziu a lista negativa dos investidores estrangeiros submetidos à restrição para o acesso ao mercado chinês, elevando o nível de liberdade do seu mercado de investimento. Dados oficiais mostram que nos primeiros três trimestres deste ano, o tempo de desembarque aduaneiro para produtos importados reduziu 56,4% em comparação com o mesmo período do ano de 2017, enquanto o tempo para produtos exportados diminuiu 64,7%.

Por outro lado, o país aprovou a Lei de Investimentos Estrangeiros, anunciou o apoio à cidade de Shenzhen na construção de uma área-piloto de demonstração socialista, inaugurou a nova área de Lingang da Zona de Livre Comércio Piloto da China (Shanghai), e acrescentou seis zonas experimentais de livre comércio. O Conselho de Estado chinês publicou também o Regulamento para a Otimização do Ambiente de Negócios. Tudo isso demonstra que o país está avançando solidamente na abertura institucional. O objetivo é criar um mecanismo de operação e de supervisão compatível a regulamentos dotados no mercado internacional.

Graças a essas medidas, a economia chinesa obteve resultados significativos neste ano. Nos primeiros onze meses, o comércio de mercadorias somou 28,5 trilhões de yuans, um incremento de 2,4% em relação ao mesmo período do ano passado. O país absorveu, na mesma altura, um investimento de 845,94 bilhões de yuans, um aumento de 6%. Empresas estrangeiras são permitidas a operar em mais setores como acionários ou entidades de propriedade exclusiva, contribuindo para um desenvolvimento qualitativo da economia chinesa.

A redução das tarifas alfandegárias sobre produtos importados abriu mais o enorme mercado chinês. Os produtos chineses exportados ao exterior fornecem aos consumidores de diferentes países mais opções. Os investimentos chineses no exterior geram para os países anfitriões um grande número de postos de emprego e uma grande quantia da receita tributária.

Vale a pena lembrar que o presidente chinês, Xi Jinping, mencionou no discurso proferido no Fórum Asiático de Boao de 2018, que nos últimos 40 anos, os êxitos econômicos da China foram alcançados graças à abertura, e no futuro, um desenvolvimento qualitativo da economia chinesa será realizado, tendo como respaldo a política de abertura.

Tradução: Inês Zhu

Revisão: Erasto Santo Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Show de luzes em Wuhan
​Sanya, um perfeito destino turístico para fugir do frio do inverno
Parque temático mundo de gelo e neve abriu ao público
Entusiastas de esqui se divertem no Resort do Lago Songhua em Jilin
Paisagem de inverno na montanha Tianmen, Zhangjiajie, província de Hunan
Festa de gala em celebração ao retorno de Macau

Notícias

​Comentário: rumor mentiroso com intenção sinistra
Fabricante chinês refuta que acusação sobre trabalho forçado na prisão é totalmente inventada
Tesco responde a reportagem da imprensa britânica sobre trabalho forçado em prisão chinesa
Comentário: China, Japão e Coreia do Sul promoverão cooperação multilateral
China pede mais cooperação com Japão e Coreia do Sul
Conferência Central de Trabalho Rural é realizada em Beijing