China promoverá estabilidade duradoura do contrato de terra

Fonte: CRI Published: 2019-11-28 21:10:48
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O Conselho de Estado da China divulgou nesta quinta-feira (28) um documento acerca de manter estável e duradouro o contrato de terra. O ministro da Agricultura e dos Assuntos Rurais da China, Han Changfu, revelou na coletiva de imprensa que o arquivo recém-publicado esclarece a direção básica para consolidar e melhorar o sistema de gestão de contrato familiar, possuindo grande importância para as políticas fundiárias rurais. Ele também salientou que não é permitido usar a retirada do contrato de terra como condição para os agricultores se instalarem nas cidades.

Os dados oficiais mostram que existem atualmente mais de 100 milhões de hectares de terra contratada na zona rural da China, envolvendo 200 milhões de agricultores. Han Changfu salientou que é importante manter a estabilidade do contrato de terra a longo prazo, de forma a proteger os interesses e direitos dos agricultores. A melhora do sistema de contrato de terra rural ajuda tanto a aumentar a confiança dos agricultores na produção quanto a desenvolver operações de escala moderada, além de também garantir a estabilidade permanente da zona rural.

Tradução: Zhao Yan

Edição: Erasto Santos Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea do Lago Oeste em Hangzhou
Festival Internacional de Circo da China realizado em Zhuhai
Reserva Nacional Natural de Wanglang, na província de Sichuan
Cenário de neve no parque Beiling em Shenyang
Panda gigante brinca na neve em Heilongjiang
Paisagem do lago Ruqin no ponto turístico de Lushan em Jiangxi

Notícias

China promoverá estabilidade duradoura do contrato de terra
China e Suriname prometem promover cooperação
China lança novo satélite de observação da Terra
Presidentes da China e do Suriname reúnem-se em Beijing
Presidente chinês salienta importância de cultivar talentos militares
Políticos dos EUA difamam a imagem da China com intenções sinistras, disse porta-voz da Chancelaria