Comentário: Cinturão e Rota cria oportunidades de desenvolvimento para o mundo inteiro

Fonte: CRI Published: 2019-10-05 19:40:55
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

No outono de 2013, quando visitava a Ásia Central e o Sudeste Asiático, o presidente chinês, Xi Jinping, lançou as propostas do Cinturão Econômico da Rota da Seda e Rota da Seda Marítima do Século XXI, nascendo assim a iniciativa chamada “Um Cinturão e Uma Rota”, ou simplesmente, “Cinturão e Rota”.

Nos últimos seis anos, esta iniciativa já se tornou uma importante plataforma para impulsionar a construção da Comunidade de Futuro Compartilhado da Humanidade, outro importante projeto criado pela China para o desenvolvimento pacífico do mundo e à governança global. Na ocasião do 70º aniversário da República Popular da China, o presidente chinês, Xi Jinping, enfatizou em vários discursos a importância de promover essa ideia.

Como uma proposta de cooperação econômica, Um Cinturão e Uma Rota foi lançada no contexto pós crise econômica global e desaceleração do desenvolvimento da economia mundial. A iniciativa tem como conceitos principais a coordenação política, a conectividade de infraestruturas, o comércio livre, a integração financeira e o entendimento entre os povos, assim como a consulta mútua, a construção conjunta e o compartilhamento de frutos como seus princípios, visando procurar o desenvolvimento comum dos países envolvidos.

A iniciativa não só achou novas forças motrizes para o crescimento econômico, mas também contribuiu muito para resolver o desenvolvimento desequilibrado do mundo. Os dados publicados pelo Banco Mundial mostram que o Cinturão e Rota tirará 7,6 milhões de pessoas da pobreza extrema e 32 milhões de pessoas da pobreza moderada, como também poderá aumentar o comércio dos países participantes de 2,8% a 9,7%, o comércio mundial de 1,7% a 6,2% e a renda global de 0,7% a 2,9%. Esta ideia é da China, mas as oportunidades e os frutos pertencem ao mundo.

Além disso, o Cinturão e Rota é também uma importante maneira para aperfeiçoar a governança global. Em 2015, a China lançou pela primeira vez o conceito de governança global de consulta mútua, construção conjunta e compartilhamento de frutos, o que é exatamente igual aos princípios do Cinturão e Rota. A China enfatiza sempre a importância das cooperações bilaterais e multilaterais para aproveitar as vantagens de todas as partes envolvidas.

Até julho deste ano, 136 países e 30 organizações internacionais já assinaram acordos de cooperação do Cinturão e Rota com a China. A ideia da Comunidade de Futuro Compartilhado da Humanidade foi também inscrita muitas vezes nas resoluções da ONU.

No entanto, alguns países ocidentais caluniaram que o Cinturão e Rota é uma armadilha de dívidas ou um instrumento geopolítico. O fato é que a África Oriental possuiu a primeira autoestrada, as Maldivas têm agora sua primeira ponte marítima, a Bielorrússia estabeleceu sua primeira fábrica de carros e a economia do Quênia cresceu mais 1,5%, todos frutos adquiridos pela participação no Cinturão e Rota.

Tradução: Luís Zhao

Revisão: Erasto Santos Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea do Lago Oeste em Hangzhou
Festival Internacional de Circo da China realizado em Zhuhai
Reserva Nacional Natural de Wanglang, na província de Sichuan
Cenário de neve no parque Beiling em Shenyang
Panda gigante brinca na neve em Heilongjiang
Paisagem do lago Ruqin no ponto turístico de Lushan em Jiangxi

Notícias

Presidentes da China e do Suriname reúnem-se em Beijing
Presidente chinês salienta importância de cultivar talentos militares
Políticos dos EUA difamam a imagem da China com intenções sinistras, disse porta-voz da Chancelaria
Comentário: Investidores globais estão otimistas com o mercado de capitais da China
Compatriotas de Taiwan têm tratamento igualitário em mais setores na parte continental chinesa
Alto funcionário do PCCh critica ato dos EUA sobre Hong Kong