Comentário: impulsionar a globalização econômica com maior abertura

Published: 2019-10-03 19:08:12
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Sete anos atrás, a cambojana Bo Sophea conseguiu um trabalho numa empresa de capitais chineses na Zona Econômica Especial do Porto de Sihanouk. Desde então, sua vida vem melhorando. Isso é um exemplo de que a China compartilha oportunidades de desenvolvimento com outros países através da abertura, pois esta zona econômica especial é construída em conjunto por empresas chinesas e do cambojanas.

Setenta anos atrás, quando a República Popular da China tinha acabado de ser fundada, a vida dos chineses era muito pobre e a base industrial do país fraquíssima. No entanto, nestas sete décadas, a China criou um verdadeiro milagre de desenvolvimento na história do ser humano com muito trabalho duro e a política da reforma e abertura. A criação da Zona Econômica Especial de Shenzhen, a abertura de cidades litorâneas, a adesão à Organização Mundial do Comércio, o estabelecimento de zonas de livre comércio, a iniciativa do Cinturão e Rota e uma série de outros fatos demonstram que a reforma e a abertura não só mudaram o destino da China, como também beneficiam a economia mundial.

Como a segunda maior economia do mundo, as contribuições da China para o crescimento econômico global são sempre as maiores desde 2006. A ex-diretora geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, disse que a ampliação da abertura da China trouxe mais oportunidades para o mundo. A China é “o mercado mundial”, e também “a fábrica mundial”, pois o país não é só o maior mercado de consumo do mundo, como também o único do mundo que possui todos os tipos de indústrias.

Vale ressaltar que os investimentos chineses desempenham papéis importantes para o desenvolvimento da economia global. Por exemplo, nos canteiros de obras e fábricas construídas por empresas chinesas na Etiópia, 90% dos funcionários são etíopes.

Além disso, os êxitos alcançados pela China ofereceram experiências para outros países em desenvolvimento. O ex-embaixador do Peru na China, Juan Capuñay, disse que a China já resolveu o problema de falta de alimentos e vestuário do seu povo, e agora está construindo integralmente uma sociedade próspera. As experiências chinesas valem ser aprendidas por outros países emergentes, completou.

A história nos conta que a abertura concede prosperidade, enquanto o fechamento impede o desenvolvimento. No contexto da ascensão do unilateralismo e protecionismo comercial, a China continuará aplicando a estratégia de abertura de benefícios recíprocos para construir um mundo progressivo e próspero.

Tradução: Luís Zhao

Revisão: Erasto Santos Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea do Lago Oeste em Hangzhou
Festival Internacional de Circo da China realizado em Zhuhai
Reserva Nacional Natural de Wanglang, na província de Sichuan
Cenário de neve no parque Beiling em Shenyang
Panda gigante brinca na neve em Heilongjiang
Paisagem do lago Ruqin no ponto turístico de Lushan em Jiangxi

Notícias

Presidentes da China e do Suriname reúnem-se em Beijing
Presidente chinês salienta importância de cultivar talentos militares
Políticos dos EUA difamam a imagem da China com intenções sinistras, disse porta-voz da Chancelaria
Comentário: Investidores globais estão otimistas com o mercado de capitais da China
Compatriotas de Taiwan têm tratamento igualitário em mais setores na parte continental chinesa
Alto funcionário do PCCh critica ato dos EUA sobre Hong Kong