China realiza reunião paralela sobre direitos humanos na ONU

Published: 2019-09-10 16:06:21
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A Sociedade Chinesa para Estudos de Direitos Humanos da China realizou nesta segunda-feira (9) uma reunião paralela na sede da ONU em Genebra. O evento, que focou no desenvolvimento dos direitos humanos da China nos últimos 70 anos, ocorreu durante a 42ª conferência do Conselho dos Direitos Humanos da Organização.

A vice-secretária-geral da entidade chinesa, Wu Leifen, que presidiu a reunião, afirmou que, desde a fundação da República Popular da China há 70 anos, o país tem prestado muita atenção à proteção dos direitos humanos e tem persistido na combinação dos princípios universais e a situação real do país. O setor obteve resultados notáveis e criou milagres graças aos esforços do país.

Com exemplos e números alcançados em seus estudos, estudiosos chineses e estrangeiros apresentaram experiências chinesas nos aspectos da promoção dos direitos humanos por meios jurídicos, proteção dos direitos humanos das minorias étnicas e contribuição da China para este setor no mundo.

Cerca de 50 diplomatas de vários países e representantes de organizações internacionais compareceram ao evento.

Tradução: Paula Chen

Revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea do Lago Oeste em Hangzhou
Festival Internacional de Circo da China realizado em Zhuhai
Reserva Nacional Natural de Wanglang, na província de Sichuan
Cenário de neve no parque Beiling em Shenyang
Panda gigante brinca na neve em Heilongjiang
Paisagem do lago Ruqin no ponto turístico de Lushan em Jiangxi

Notícias

Presidentes da China e do Suriname reúnem-se em Beijing
Presidente chinês salienta importância de cultivar talentos militares
Políticos dos EUA difamam a imagem da China com intenções sinistras, disse porta-voz da Chancelaria
Comentário: Investidores globais estão otimistas com o mercado de capitais da China
Compatriotas de Taiwan têm tratamento igualitário em mais setores na parte continental chinesa
Alto funcionário do PCCh critica ato dos EUA sobre Hong Kong