Porta-voz chinesa refuta palavras perversas dos EUA sobre Hong Kong

Published: 2019-08-14 10:38:46
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A porta-voz da chancelaria chinesa, Hua Chunying, refutou nesta terça-feira (13) as afirmações perversas dos EUA sobre Hong Kong. De acordo com ela, os EUA ignoram os fatos, confundem o justo com o injusto e tem o objetivo de alcançar propósitos próprios ao provocar o caos.

A presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, e os senadores Mitch McConnell, Marco Rubio e Ted Yoho, criticaram no dia 12, pelo twitter, os policias de Hong Kong por reprimirem os manifestantes com meios violentos. Também condenaram a China de prejudicar a democracia e a liberdade de Hong Kong.

Em reação a isso, Hua Chunying disse que as afirmações dos senadores forneceram justamente as novas provas de que os EUA interferiram nos incidentes de Hong Kong, fato que foi negado pela Casa Branca. Os políticos norte-americanos adornaram as violências e os crimes e destroçaram a ação de combate aos crimes pela polícia local como repressão violenta. Eles incitaram o confronto da população com o governo local e central, a fim de tirar vantagens próprias por meio dos caos.

Tradução: Laura

Revisão: Diego

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea do Lago Oeste em Hangzhou
Festival Internacional de Circo da China realizado em Zhuhai
Reserva Nacional Natural de Wanglang, na província de Sichuan
Cenário de neve no parque Beiling em Shenyang
Panda gigante brinca na neve em Heilongjiang
Paisagem do lago Ruqin no ponto turístico de Lushan em Jiangxi

Notícias

Presidentes da China e do Suriname reúnem-se em Beijing
Presidente chinês salienta importância de cultivar talentos militares
Políticos dos EUA difamam a imagem da China com intenções sinistras, disse porta-voz da Chancelaria
Comentário: Investidores globais estão otimistas com o mercado de capitais da China
Compatriotas de Taiwan têm tratamento igualitário em mais setores na parte continental chinesa
Alto funcionário do PCCh critica ato dos EUA sobre Hong Kong