China realiza reunião econômica chave para plano de 2018

Fonte: Xinhua Published: 2017-12-19 09:23:53
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A Conferência Central de Trabalho Econômico da China foi inaugurada nesta segunda-feira, e os líderes chineses começaram a analisar o desempenho econômico em 2017 e fazer planos para 2018.

Ao revisar o trabalho econômico durante os últimos cinco anos, a reunião se concentrará na implementação das decisões tomadas no 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China, assim como no estabelecimento de tarefas econômicas para 2018, que terão o desenvolvimento de alta qualidade como o requisito fundamental. 

Os observadores destacaram que as decisões a ser tomadas na reunião refletirão o novo conceito de desenvolvimento chinês caracterizado pelo desenvolvimento de alta qualidade.

Conter os principais riscos, erradicar a pobreza e controlar a poluição serão as "três duras batalhas" para 2018, e avanços substanciais são esperados.

A agenda econômica se concentrará em aprofundar a reforma no lado da oferta, revigorar os participantes do mercado, aplicar a estratégia de revitalização rural, impulsionar o desenvolvimento coordenado urbano-rural e a abertura integral.

O trabalho do próximo ano procurará também ajudar a melhorar os padrões de vida, criar um mecanismo de moradia com efeitos duradouros e fornecer mais produtos ecológicos de alta qualidade.

O PIB da China cresceu 6,9% em termos anuais nos três primeiros trimestres, ficando acima da meta de cerca de 6,5% estabelecida pelo governo para todo o ano.

A economia mostrou melhoras estruturais com a nova economia contribuindo com mais de 10% para o crescimento total e a taxa de crescimento da renda dos residentes ultrapassando o crescimento econômico.

Depois de crescer a uma média de mais de 7% nos últimos cinco anos, a economia chinesa contribuiu com mais de 30% do crescimento econômico mundial e é considerada uma potência e apoio da economia global.

No entanto, a segunda maior economia do mundo ainda enfrenta um ambiente global complicado e conflitos estruturais domésticos, potenciais riscos no sistema financeiro e disparidades em indústrias e regiões.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) apontou recentemente que a rápida acumulação de crédito e empréstimos de risco na China está passado dos bancos para os setores menos regulados do sistema financeiro, conhecidos como "bancos paralelos".

"A complexidade crescente do sistema semeou riscos para a estabilidade financeira", disse o FMI, recomendando que a China tome medidas como o reforço da supervisão de riscos sistêmicos e a melhora da regulação.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Ni Ni e Jing Boran posam juntos para "BAZAAR"
Canteiro de flores na Praça de Tiananmen
Paisagem de Shahu, no noroeste da China
Veja fotos do último dia do Rock in Rio 2017
Semana de Moda de Milão 2018
Exposição Gastronômica do Meio-Outono realizada em Chengdu

Notícias

UE adota medidas para enfrentar crise na segurança de alimentos
Beijing inicia construção de novo ponto de partida histórico
Lançado primeiro trem de carga refrigerado China-Rússia
Vice-premier chinesa é premiada pela Universidade de Nova York
Xi Jinping visita Exposição "Os 5 anos de mudanças da China"
Construção de alto padrão do subcentro de Beijing é promovida ordenadamente