Exposição Internacional de Horticultura de Beijing 2019

Published: 2019-05-05 10:54:03
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Exposição Internacional de Horticultura de Beijing 2019

Olá ouvintes, sejam bem-vindos ao programa Pelos Quatro Cantos. Hoje, vamos dar início à nossa sequência de programas “Passeios em Beijing 2019”. Nesta edição, vamos conhecer primeiro a Exposição Internacional de Horticultura de Beijing. Fique ligado!

Beijing é uma metrópole moderna da China e é bem conhecida mundialmente. Todos os anos, ela sedia diversos eventos, exposições e atividades de diferentes tipos desde políticas, comerciais, culturais e até esportivas. No dia 29 de abril, um outra exibição de alto nível foi inaugurada na capital: a Exposição Internacional de Horticultura 2019.

Aberta de 29 de abril a 7 de outubro de 2019, a exposição de 162 dias exibirá as últimas conquistas na floricultura e na plantação de frutas e vegetais no pé da Grande Muralha e na margem do Rio Guishui, no distrito de Yanqing, noroeste de Beijing. Os visitantes podem desfrutar de mais de 2.500 atividades culturais. A China apresentará 34 jardins, nos quais visitantes poderão conferir a estruturação hortícola seguindo o contexto dos mais variados cenários paisagísticos do país. Entre eles, os que atraem mais atenção são os quatro principais pavilhões no parque: o da China, o Internacional, o da Experiência da Vida e o das Plantas.

Exposição Internacional de Horticultura de Beijing 2019

O desenho do Pavilhão da China foi inspirado pelo objeto tradicional chinês “Ruyi”. Com uma forma de letra S, ele é um símbolo de auspício na cultura chinesa. Ao olhar de longe, o pavilhão parece um grande Ruyi decorado no pé da Grande Muralha. Desde a antiguidade, os chineses sempre destacam a harmonia entre a natureza e o ser humano. Este pavilhão segue exatamente esse conceito e dá uma óptima interpretação do tema desta edição da exposição: “viva verde, viva melhor”.

No interior do Pavilhão da China, podem-se ver muitas estruturas com forma de terraço. O campo de terraço é uma herança da civilização agrícola do país, onde os antepassados chineses cultivavam alimentos numa limitada área cultivável entre as montanhas. Ao mesmo tempo, as tecnologias de ponta são plenamente utilizadas no pavilhão, incluindo a ventilação, o isolamento da humidade, a irrigação com chuva renovável e outras tecnologias verde.

Quem visitar o Pavilhão Internacional, ficará bem impressionado com o desenho peculiar da construção. Ao olhar de longe, ela parece uma grande flor de hortênsia. Formado por 94 guarda-chuvas de metal em cor branca, o pavilhão criou um espaço sem margens claras nem divisões específicas, apenas uma área aberta com elementos de diversos países do mundo. No centro do pavilhão, foi construído um pátio em estilo japonês contornado por pagodes e riachos com flores coloridas florescentes. No jardim de Cingapura, as plantas tropicais atraem os olhares dos visitantes, enquanto no parque moderno da Alemanha, as arquiteturas foram construídas com grandes madeiras, criando uma zona de lazer bem natural e relaxante. Os visitantes podem também passear pelo gramado do jardim da África para explorar a cultura tribal nesse continente misterioso e esplêndido.

Exposição Internacional de Horticultura de Beijing 2019

Os pavilhões da Experiência da Vida e das Plantas são os espaços para os turistas conhecerem os mais preciosos exemplares e ficarem mais próximos à Natureza. São exibidas mais de 600 espécies de plantas preciosas no Pavilhão das Plantas, incluindo Sumaúma, Névoa de Lótus, Árvore de fuso, entre outros. Já no Pavilhão da Experiência da Vida, os visitantes podem iniciar uma viagem no tempo para experimentar a vida primitiva com a agricultura como aspecto principal da rotina diária.

Os países participantes consideram a exposição uma plataforma de demonstração dos avanços mais recentes no setor de horticultura, para promover o turismo e fazer intercâmbios hortícolas e agrícolas.

A indústria de floricultura da China tornou-se cada vez mais próspera nas últimas décadas. Em 1984 a área de cultivo era de 14 mil hectares. Já em 2018, foi ampliada para 1,4 milhão de hectares, a maior no mundo. As vendas saltaram de 600 milhões de yuans, o equivalente a US$ 87 milhões, para 153 bilhões de yuans durante o período.

A presidente da Associação de Horticultura da China, Jiang Zehui, disse que a Exposição de Beijing será um grande evento na área hortícola do mundo e oferecerá uma oportunidade para todos os países promoverem a cooperação e o intercâmbio.

Exposição Internacional de Horticultura de Beijing 2019

Além disso, a Alfândega da China já estabeleceu medidas especiais para facilitar a importação de plantas durante a exposição. Medidas especiais foram realizadas para simplificar o procedimento de importação de plantações dos países estrangeiros durante a Exposição Internacional de Horticultura de Beijing. Autoridades de patentes do país também cooperaram com o comitê organizador do evento para oferecer serviços de patentes e de marcas aos participantes para uma melhor proteção de sua propriedade intelectual.

Caros amigos, sejam bem-vindos a Beijing. Vamos aproveitar essa bonita estação da Primavera para apreciar a beleza maravilhosa da mãe Natureza na Exposição de Horticultura, aqui em Beijing.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Koalas no Parque Safari Chimelong em Guangzhou
A ilha de Weizhou: um lugar tão bonita quanto uma esmeralda
Exibição Horticultural Internacional de Beijing será aberta em 29 de abril
Ônibus de condução automática desafia ponte de vidro em Hunan
Relíquias culturais devolvidas pela Itália em exibição no museu nacional
Centro de Imprensa do Fórum do Cinturão e Rota para Cooperação Internacional inicia operação experimental

Notícias

Comentário: China acelera ritmo de expansão da abertura financeira
Novas tecnologias impulsionam desenvolvimento agrícola de Xinjiang
Melhoria do meio ambiente necessita dos esforços de todos, diz Ma Xiaohua
Dia de Beijing da Exposição Internacional de Horticultura é inaugurado
Comentário: China comemora centenário do Movimento Quatro de Maio
CMG quer melhorar seus programas artísticos com maior participação social