Beijing — Um passeio pelos museus

Published: 2018-07-23 15:57:23
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

 

Na capital chinesa existem 179 museus de diferentes tipos. É a segunda cidade do mundo em número de museus, atrás apenas de Londres.

Atualmente, Beijing é mais que uma cidade turística conhecida mundialmente. É um destino muito procurado pelos estudantes estrangeiros.

Beijing oferece agora 11 opções turísticas de visita de estudo. Elas incluem passeios nas universidades mais famosas, visitas aos museus e pavilhões de patrimônios culturais imateriais, além de excursões aos parques tecnológicos para conhecer a alta tecnologia da China.

Criado em 1925, o Museu da Cidade Proibida é um dos cinco maiores museus do mundo. É também um ponto importante para quem quer estudar aqui.

A Cidade Proibida, residência dos imperadores das dinastias Ming e Qing, é o maior complexo em arquitetura de madeira do mundo. E o museu da Cidade Proibida é o maior da China, com inúmeras relíquias culturais. Ao entrar no local e passear pelo eixo central, o turista pode sentir a grandeza arquitetônica.

Beijing — Um passeio pelos museus

Vale muito a pena conhecer os palácios, que assumem diferentes funções desse grande complexo. Tem o palácio onde os membros do império trabalhavam, palácios onde as concubinas moravam, cada um deles possui características únicas. Passear pela Cidade Proibida e apreciar as relíquias culturais leva a entender melhor a estética dos chineses.

Graças às mais recentes tecnologias de Realidade Virtual, os visitantes da Cidade Proibida podem ir diretamente para a residência do imperador e ver tudo como era o local no seu auge. A galeria digital na Cidade Proibida oferece aos turistas uma oportunidade para conhecer alguns itens que são antigos e frágeis demais para a exibição direta ao público.

No ano passado, o Museu do Palácio anunciou que iria digitalizar toda a sua coleção e tornar as imagens disponíveis ao público. O museu vai tirar fotografias de cada item de diferentes ângulos e disponibilizar tudo na internet.

Após conhecer como era a vida da família imperial na Cidade Proibida, os turistas podem ir ao Museu da Capital para ver como os moradores de Beijing viviam fora da zona imperial.

Também no museu, os materiais históricos contam aos turistas a transformação desta cidade nos últimos 3 mil anos. Além disso, podem saber como viviam os ancestrais neste lugar 700 mil anos atrás.

O pavilhão de costumes populares do Museu da Capital é decorado com elementos mais típicos de Beijing, como Hutong e Siheyuan. São exibidos também neste pavilhão os costumes tradicionais de Beijing, incluindo a cerimônia de casamento, o nascimento do bebé e a celebração dos dias festivos, entre outros.

Em 2017, o alto comissário do Comitê da Rádio e Televisão da Turquia, Hamit Ersoy, visitou o Museu de Capital. Ele disse que os cenários exibidos no museu são um livro vivo sobre os costumes populares de Beijing.

Beijing é o centro cultural da China e também base da educação científica e um centro de inovação tecnológica. A Universidade de Pequim é uma das universidades mais conhecidas do país. Criada em 1898, a instituição tem uma rica história de mais de um século.

Beijing — Um passeio pelos museus

A universidade possui 30 faculdades e 12 departamentos, com 93 especialidades para estudantes de graduação, duas especialidades para o segundo bacharelado, 199 especialidades para mestrado e 173 especialidades para doutorado. Líder em pesquisa e ensino em ciências básicas, a universidade desenvolveu com sucesso pesquisas e ensino de ciências aplicadas.

A Universidade de Pequim já é uma importante base de inovação tecnológica da China, e também uma ponte de intercâmbios acadêmicos internacionais.

Não muito longe da Universidade de Pequim, fica a zona de desenvolvimento tecnológico de Beijing: Zhongguancun, conhecida também como o “Vale de Silício” da China. Em Zhongguancun, o número das empresas com valor superior a 1 bilhão de dólares já passa de 40.

A força da tecnologia é imensa nesta área. O espaço ocupado pelas empresas, universidades e centros de pesquisa é dividido em sete parques por onde a população se distribui. O crescimento econômico é acelerado por investimentos e incentivos privados e governamentais. A presença de gigantes multinacionais, a grande soma de capitais e uma área acadêmica forte aponta para um futuro próspero em termos de empreendimentos inovadores para Zhongguancun.

Além de Universidade de Pequim e de Zhongguancun, o Museu da Tecnologia da China é também um lugar perfeito para ver de perto o avanço tecnológico da China. Visto de longe, o museu lembra um cubo mágico. É um tanto misterioso.

Beijing — Um passeio pelos museus

O museu é dividido em cinco pavilhões temáticos. Os turistas podem explorar os fenômenos electromagnéticos no pavilhão “Exploração e Descoberta”. Também podem participar de forma virtual do processo de clonagem da ovelha “Dolly” no pavilhão “Desafio e Futuro”.

Os museus carregam informações culturais de uma cidade em suas diferentes épocas e também testemunham as mudanças do local.

Desde patrimônios culturais mundiais a museus de diferentes tipos, além do parque tecnológico de Zhongguancun, a cidade de Beijing está de braços abertos para receber turistas dos quatro cantos do mundo.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Centro de Leilão da Flora de Kunming
Turistas se divertem em Liuzhou, no sul da China
Fotos de uma estrada em cima das águas na província de Jiangxi
Abrigos antiaéreos em Chongqing tornam-se lugares populares para escapar do calor do verão
2ª Exposição Conjunta de Fotografia do BRICS realizada na Cidade do Cabo
Secagem de produtos agrícolas em Huangling

Notícias

Comentário: Quem está segurando a “bola da solução” da guerra comercial?
Senegaleses aplaudem visita do presidente chinês ao país
Xi Jinping participa da cerimônia de entrega do Estádio da Luta Senegalesa
21 estudantes internacionais exploram a Província de Yunnan da China
Primeira curva do rio Yangtzé
Senegal aprecia os êxitos chineses no combate à pobreza