Elias Jabbour aponta a superioridade do socialismo com o fim da pobreza extrema na China

Fonte: CRI Published: 2020-12-23 09:55:16
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

“A China já está mostrando ao mundo a superioridade do socialismo com características chinesas”, disse o professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas da UERJ e membro do Comitê Central do PCdoB, Elias Jabbour, ao comentar a respeito do fim da pobreza extrema no país liderado pelo Partido Comunista da China (PCCh). A nação chinesa retirou os últimos nove condados da lista oficial da pobreza conforme a linha nacional de 4 mil yuans definida neste ano.

O especialista brasileiro está admirado que a China tem usado todos os meios institucionais, políticos e financeiros para acabar a pobreza absoluta antes do centenário do PCCh. Ele enfatizou “a utilização da ciência e da razão humana para alcançar os objetivos”, citando a construção da infraestrutura em grande escala para interligar as zonas carentes com o mercado nacional e fazer seus produtos chegar aos consumidores rapidamente. Interessante notar que, na China, as terras são de propriedade coletiva e distribuídas para camponeses plantar. Já as reformas permitem que eles aluguem os espaços excedentes e obtêm uma renda extra para abrir outros negócios, o que deu à luz a um mercado rural muito maior do que antes.

Para Elias, a China tem um novo tipo de poder político, que coloca na frente os interesses da maioria da população. Sob seu entendimento, em um país como a China, que possui filosofias próprias e pensamentos milenares, a legitimidade do governo é pela capacidade que o governo tem em entregar melhorias de vida. Ele indica uma atenção especial à engenharia social que está sendo construída no país, classificando dessa forma a mais avançada do mundo. Olhando para os novos desafios surgidos com o tempo, o estudioso marxista pensa que o socialismo chinês vai se reinventar de acordo com o nível de desenvolvimento.

Na perspectiva mundial, Elias enxerga que o país oriental tem uma visão global mais pacífica e propõe uma globalização nova ao resto do mundo. “Na medida em que a China enriquece, exporta sua riqueza por meios dos projetos de cooperação”, opina o pesquisador.

Para mais pontos interessantes, confira a entrevista.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Uma escada em espiral em um centro de Shanghai chama muita atenção dos visitantes
Fotos aéreas da zona úmida do Lago Hongze, província de Jiangsu
Pandas gigantes divertem-se na neve
“Jardim de infância" de antílopes tibetanos em Hoh Xil
Projeto fotovoltaico na província de Qinghai
Rodovia expressa na região de Xiaoliangshan, província de Sichuan

Notícias

Wall Street informa que vacina da Sinovac se mostra eficaz na fase 3 do ensaio brasileiro
Vacinas chinesas contra COVID-19 são seguras e efetivas, diz especialista
Muitos países da América Latina anunciam com urgência a suspensão de voos com Reino Unido
Uma parceria para além da exportação de bens
Crescimento econômico da China traz confiança para o mundo
Vida de Sanming prospera com construção ecológica