Diego Xavier apela para unidade entre povos a fim de superar o coronavírus

Fonte: CRI Published: 2020-03-25 11:59:54
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A onda do novo coronavírus (COVID-19) sacode o mundo inteiro devido à transmissão rápida e agressiva entre as pessoas. No Brasil, o número de casos confirmados da infecção subiu para 2.201 nesta terça-feira (24), com epicentro na capital paulista, São Paulo. Para Diego Amorim Xavier, sociológico e pesquisador da USP e da Unicamp, este momento delicado apela mais para a união da humanidade, em vez de xenofobia e culpabilidade.

Diego Xavier acompanha bem de perto o combate da China contra o coronavírus, especialmente em Wuhan, cidade mais afetada pela epidemia, onde morou entre 2010 a 2011. Ele concorda que a China tomou medidas plenamente rigorosas por conta da dimensão e população gigante, avaliando essa estratégia de “supressão” como eficiente e oportuna para eliminar o vírus. Salienta também o custo alto que o país assumiu.

Do ponto de vista do Diego, a China não é culpada pelo surgimento da doença. Sobretudo, nenhum caso que chegou ao Brasil veio da China. Ele explica com um exemplo: “Se um amigo vem à minha casa e de repente cai e se machuca, não sou culpado por isso, mas quero fazer algo para recompensar”, assim como a China, que se sente responsável e não poupa esforços para prestar auxílio, mandando equipes médicas e recursos necessários para outros países.

Falando das acusações à China nas redes sociais, incluindo as feitas pelo presidente norte-americano, Donald Trump, e pelo deputado federal brasileiro, Eduardo Bolsonaro, Diego Xavier acha muito lamentáveis. “Na hora de encontrar problema interno, culpa o outro” opinou, aprovando que a xenofobia não cura nem mata vírus.

Ao lembrar de suas experiências na China, Diego Xavier diz ter aprendido muito de forma pragmática. Quando surge um problema, devemos apenas resolvê-lo. Agora o Brasil começa a adotar contramedidas para conter o coronavírus, anunciando suspensão das atividades sociais. Diego Xavier adverte os compatriotas que não é um período de férias e de lazer, mas sim um período de sacrifício que todas as pessoas precisam fazer. Preocupado com as comunidades mais pobres, deseja que o Brasil consiga ultrapassar a doença em breve.



Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Paisagem ao longo do rio Yarlung Zangbo após a queda de neve
Trabalhadores montam um navio no estaleiro da fábrica na ilha de Changxing de Shanghai
Os restaurantes de hotpot em Chengdu retomam os negócios com medidas de prevenção
Flores de cerejeira desabrocham em Beijing
Os alunos de Qinghai iniciaram novo semestre com medidas de prevenção mais rigorosas contra o novo coronavírus
Agricultores colhendo folhas de chá em uma plantação

Notícias

Primeiro caso confirmado do COVID-19 é relatado no Laos
Feira de Cantão remarcará edição de 15 de abril
Chefe da OMS diz que pandemia da COVID-19 está se "acelerando"
Wuhan eliminará em 8 de abril as restrições de viagens de saída
Especialista da Casa Branca: acusações de Trump contra a China não são verdadeiras
Prefeito de Nova York acusa Trump de resposta ruim à epidemia