Em romance Bruno Vieira Amaral aborda tumultos interiores marcados pela época

Fonte: CRI Published: 2019-07-09 15:54:01
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Até hoje Bruno Vieira Amaral não conhece Angola nem tem o plano de ir, apesar daquela terra ser o berço da sua família. O escritor português vem tentando reconstruir sua identidade nas entrelinhas, pensando que a melhor forma é refletir o afastamento do lugar que deve pertencer.


A primeira obra, As Primeiras Coisa, já é vencedora do prêmio literário José Saramago e tornou Bruno Vieira Amaral um nome conhecido em Portugal. No livro, contou uma história inspirada pelo homicídio do próprio primo. O novo romance, Hoje Estarás Comigo no Paraíso, ampliou a investigação sobre o assassino, mas o objetivo reside na procura do que aconteceu na vida e formou aquele jovem vindo de Angola na década 70 do século passado.

Após a descolonização, cerca de 500 mil pessoas mudaram para Portugal, como o pai do autor. Não houve tumulto político, mas ele acredita que existia um grande choque cultural e confusão psicológica para se habituar a uma realidade completamente diferente. Assim, Bruno Vieira Amaral sente a importância da literatura para curar as feridas escondidas no interior dessas pessoas.

Durante o processo de escrita, Bruno Vieira Amaral costuma deixar a ideia conduzir naturalmente, parecendo um passeio aberto a descobrir caminhos que permitem chegar ao determinado lugar. Ele espera também que os leitores completem o livro através da leitura. Confira o bate-papo!

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Show de lanterna em Changchun
Mulheres da etnia Yao continuam tradição de manter cabelos longos
Caverna de gelo em Shanxi
Fotos sobre Ponte da Liberdade
Cenário do Lago Ronghu em Guilin, Região Autônoma Zhuang de Guangxi
Museu da Cultura Musical Mundial de Dalian

Notícias

​Consumo se torna principal força motriz do crescimento chinês
Ataque a carro-bomba mata seis pessoas em Afeganistão
Lanzhou pretende tornar-se novo ponto comercial no Cinturão e Rota
China tem 55 Patrimônios da Humanidade com o novo eleito pela UNESCO
Economia de Xinjiang cresce 40% nos últimos cinco anos
Qingdao sedia Feira Internacional de Direito Autoral