Web  portuguese.cri.cn  
Empresas chinesas sobem em ranking global com as mudanças na economia
  2017-07-25 16:29:53  cri
As empresas chinesas continuam a ascender nas rankings mundiais uma vez que sua competitividade cresce com a transformação econômica do país.

A lista Fortune Global 500 está vendo a prosperidade rápida da China neste ano, disse a revista renomada em seu website.

As empresas chinesas encheram sem precedentes 115 lugares na lista de 2017 divulgada no início da semana passada, apenas 17 lugares a menos que os Estados Unidos, e marcando o 14º ano consecutivo em que a China aumentou sua presença na lista.

As companhias chinesas na lista são principalmente dos setores de internet, varejo, finanças, energia e imobiliárias.

A State Grid e o gigante petrolífera Sinopec Corp ficaram no segundo e terceiro lugar, com a receita atingindo US$ 315 bilhões e US$ 268, respectivamente, em 2016.

O gigante de telecomunicação Huawei subiu da 129ª posição no ano passado para 83ª neste ano, superando todos os colegas mundiais em seu setor.

O desempenho das companhias pode refletir bem as mudanças das condições econômicas. A expansão firme da economia chinesa em 2016 e no primeiro semestre deste ano contribuiu para a ascensão das grandes empresas, segundo Liu Qiao, diretor da Escola de Guanghua de Gestão da Universidade de Pequim.

A China informou crescimento do PIB de 6,9%, mais rápido que o esperado no primeiro semestre do ano, colocando o país no curso para confortavelmente completar seu objetivo de 2017 de cerca de 6,5%.

As companhias chinesas poderiam ter maior número em relação aos Estados Unidos na lista Fortune Global 500 dentro dos próximos três a cinco anos uma vez que a segunda maior economia do mundo continua a expandir, estimou Liu.

Um ponto brilhante é a ascensão das empresas privadas. Dez empresas chinesas estão na lista pela primeira vez, a maior parte das quais são privadas, incluindo gigantes dos serviços da internet Alibaba e Tencent.

Esses dois gigantes da internet, junto com JD.com, compartilharam seus postos das top 6 companhias de internet mundiais com seus homólogos dos Estados Unidos.

Isso indica que novos motores de crescimento são crescentes mais fortes na China, disse Bai Ming, vice-diretor do instituto de pesquisa do mercado internacional da Academia Chinesa de Cooperação Comercial e Econômica Internacional.

As fusões e reorganizações também ajudaram as empresas estatais chinesas a melhorar a competitividade mundial através da otimização da alocação de recursos industriais, sublinhou Bai.

Um total de 48 empresa estatais centrais ficaram na lista, incluindo companhias reorganizadas China Baowu Steel Group Corporation e CRRC Corporation.

A China Minmetals Corporation subiu do 323º lugar no ano passado para 120º neste ano depois de implementar reorganização estratégica com Metallurgical Corporation of China em 2015.

A China tem incentivado fusões e reorganizações entre o setor de estado e planeja reduzir o número de empresas estatais centrais para inferior às 100 como parte das atuais reformas para melhorar a eficiência das companhias.

Porém, as companhias chinesas ainda têm muito espaço para melhorar em termos de capacidades de lucro.

O retorno médio sobre os ativos das 109 companhias chinesas listadas ficou em 1,65%, muito mais baixo ante seus homólogos norte-americanos, segundo Liu.

O mercado de trabalho da China, estrutura industrial, demandas de consumo e condições econômicas domésticas e estrangeiras passarão por mudanças profundas no futuro, disse Liu.

"Empreitada e inovação continuarão a mudar o setor corporativo da China e é hora para a China fomentar grandes companhias, que dá prioridade à criação de valor sobre a expansão da receita", acrescentou Liu.

por Xinhua

 Imprimir  Comentar  Envie para um amigo
Leia mais
Comentário

v A aldeia fica no extremo norte da China

v Coleta de sal em Fujian, no sudeste da China
mais>>
Aviso Vídeo
Para conhecer a fundo o Fórum do Cinturão e Rota para Cooperação Internacional, só na Rádio Internacional da China.

Cobertura completa em todas as mídias e em 65 idiomas, transmissão ao vivo em chinês, inglês e russo, notícias em tempo real nas novas mídias para 29 idiomas, reportagens especiais para internet, em 39 idiomas, além das reportagens cooperativas com 130 rádios no exterior.

Fortalecer cooperações internacionais, construir em conjunto "Um Cinturão e Uma Rota", procurar o desenvolvimento de ganhos mútuos.

Ranking dos textos mais lidos
• Sala de visitas: O artista português Alexandre Farto, o Vhils, explica detalhes do seu estilo inovador, que já conquistou todos os continentes
• Sala de visitas: A jornalista brasileira Laís Carpenter fala sobre sua carreira e conta como veio morar na China
• Sabores do Brasil - Muqueca de Peixe e Camarão
• Entrevista com presidente da CMA Group do Brasil, José Sanchez
• Encontre aromas frescos do chá Tieguanyin em Anxi
• Entrevista com pianista portuguesa Marta Menezes
mais>>
Galeria de fotos

O primeiro trem maglev de Beijing foi testado no último sábado

Pinturas famosas foram transformadas pelo ilustrador chinês Along, utilizando o panda

A Pradaria de Hulunbuir é uma das quarto maiores pradarias do mundo

Um parque de estacionamento gigantesco e inteligente foi inaugurado em Beijing
mais>>

• Fanzine Nº2, 2017

• Fanzine Nº1, 2017
mais>>
© China Radio International.CRI. All Rights Reserved.
16A Shijingshan Road, Beijing, China. 100040