Web  portuguese.cri.cn  
Chefe da missão chinesa para União Europeia comenta os 40 anos do relacionamento sino-europeu
  2015-05-08 17:19:59  cri

Desde o estabelecimento oficial das relações diplomáticas entre a China e a União Europeia, a então chamada Comunidade Econômica Europeia, no dia 6 de maio de 1975, os intercâmbios e cooperações sino-europeus marcaram os 40 anos. Durante as quatro décadas, a cooperação sino-europeia passou a ser uma parceria estratégica compreensiva, cuja essência principal é caracterizada pela paz, crescimento, reforma e civilização.

A chefe da missão da China para a União Europeia, a embaixadora Yang Yanyi, apontou que o diálogo e a cooperação são a principal corrente no relacionamento sino-europeu dos seus altos e baixos. Para a embaixadora, a compreensibilidade, a estratégia e a estabilidade, consistem em três principais características do relacionamento sino-europeu.

"Primeiro, as relações sino-europeias envolvem as áreas amplas em todos os sentidos e níveis. Existem três mecanismos de diálogos de alto nível, são eles, o diálogo estratégico, o diálogo econômico-comercial e o diálogo cultural. Segundo, tanto a China quanto a União Europeia estão tratando as relações bilaterais a partir de uma altura estratégica. Sustentamos o multilateralismo e propomos a promoção da ordem e do sistema internacional numa direção justa e razoável. Terceiro, ambas as partes pretendem consolidar e desenvolver as relações com base na confiança mútua e no respeito recíproco."

A economia e o comércio têm sido os pilares mais vigorosos e firmes do relacionamento sino-europeu. A União Europeia tem permanecido o primeiro maior parceiro comercial da China por vários anos consecutivos, enquanto a China tem sido o segundo maior do bloco durante vários anos. O volume comercial sino-europeu atingiu os 615 bilhões de dólares em 2014. No entanto, houve algumas disputas comerciais. Já em março, a Comissão Europeia anunciou a cobrança de imposto anti-dumping ao aço inoxidável importado da China. A embaixadora chinesa considera que as duas partes podem procurar interesses comuns, aceitando as diferenças existentes e lidar bem com as divergências.

Desde 2010, a China ascendeu para a segunda maior economia mundial. Aparecem cada vez mais rostos chineses no continente europeu e cada vez mais empresas chinesas entram no mercado europeu. O fato fez com que os europeus começassem a enxergar novamente o país oriental. Em consequência disso, surgiu também a teoria da chamada "ameaça chinesa". A embaixadora Yang entendeu que com o aprofundamento da interação e do conhecimento mútuo, a atitude positiva e otimista em relação à China são as principais tendências na Europa, o que reflete a confiança e a expectativa dos europeus para com a China.

Nos últimos anos, o governo chinês tem promovido a construção do Cinturão Econômico da Rota da Seda, com a intenção de estabelecer uma comunidade de destino comum com benefícios recíprocos que atravessa o continente eurasiático. Sendo o ponto final do Cinturão Econômico da Rota da Seda, a Europa desempenha um papel muito importante na concretização geral dessa estratégia. A embaixadora Yang apontou que por um lado, a União Europeia possui uma grande capacidade financeira e tecnológica, e por outro, necessita urgentemente de um projeto que possa promover o emprego e o crescimento. Por isso, a cooperação sino-europeia neste projeto trará benefícios e ganhos mútuos.

"Sob o ponto de vista da sua posição e papel, a Europa deve e é capaz de se tornar numa participante, construtora, promotora e colaboradora do projeto do Cinturão Econômico. Observamos contentemente que tanto a União Europeia como os seus integrantes deram uma resposta positiva e de apoio ao projeto. Pode-se dizer que existe uma conecção e ligação entre o desenvolimento europeu e o projeto. Assim que houver uma boa integração, o efeito será multiplicado."

 Imprimir  Comentar  Envie para um amigo
Leia mais
Comentário

v Estudantes mostram habilidades de balé durante apresentação conjunta em Beijing

v Cenário do Templo Taoista de Jiutai em Shaanxi no noroeste da China
mais>>
Aviso Vídeo
Para conhecer a fundo o Fórum do Cinturão e Rota para Cooperação Internacional, só na Rádio Internacional da China.

Cobertura completa em todas as mídias e em 65 idiomas, transmissão ao vivo em chinês, inglês e russo, notícias em tempo real nas novas mídias para 29 idiomas, reportagens especiais para internet, em 39 idiomas, além das reportagens cooperativas com 130 rádios no exterior.

Fortalecer cooperações internacionais, construir em conjunto "Um Cinturão e Uma Rota", procurar o desenvolvimento de ganhos mútuos.

Ranking dos textos mais lidos
• Sala de Visitas: A intérprete Raquel Martins conta sua trajetória na China e diz que o chinês é sua primeira língua, mas considera o português sua língua materna (Parte I)
• Bate-papo com vencedora na categoria Melhor Estudante do 3º ano do Prêmio Tomás Pereira 2017
• Estrela
• Conheça a culinária dos países ao longo de "Um Cinturão e Uma Rota"
• Sala de Visitas: O treinador de futebol Pedro Martins, o Pedrinho, numa conversa descontraída sobre o esporte e a paixão dos pequenos chineses pelo mundo da bola
• Freedom
mais>>
Galeria de fotos

Tapete vermelho do Festival Internacional de Cinema de Cannes

Mercado noturno em Xinjiang no noroeste da China

Kára McCullough, nova Miss Estados Unidos 2017

Caverna da dinastia Wei é atração turística em Hualai, província de Hebei
mais>>

• Fanzine Nº6, 2016

• Fanzine Nº5, 2016
mais>>
© China Radio International.CRI. All Rights Reserved.
16A Shijingshan Road, Beijing, China. 100040