Sobre CRI Sobre Dept.
HomeGeralEconomiaCulturaVidaEsportesChinêsWebcast
Indústria criativa cultural de Beijing em rápido desenvolvimento
2008-01-21 09:30:57    cri

Para quem gosta de arte, uma visita obrigatória em Beijing é o Distrito Artístico 798, onde se reúnem centenas de pintores, escultores e fotógrafos, entre outros artistas. O local já se tornou uma das bases mais importantes da indústria criativa cultural desta Capital. 

Localizada nas proximidades do Aeroporto Internacional de Beijing, o 798 foi montado nos galpões abandonados de uma fábrica de equipamentos de rádio. Nos anos 1990, a fábrica se mudou e suas oficinas, por pura casualidade, foram revitalizadas, de acordo com o atual diretor da 798, Chen Yongli.

"Em 1996, ano que marcou o 60º aniversário do começo da guerra contra a invasão japonesa na China, Sui Jianguo, da Academia Central de Artes, queria montar uma exposição de esculturas sobre o tema. Ele achou esta fábrica e alugou um galpão de 3.000 metros quadrados. A partir desse momento, um número crescente de artistas começou a alugar espaços aqui e o local tornou-se o que é agora".

Sob a guarda-chuva do desenvolvimento da indústria cultural promovido pelo governo de Beijing, o 798 concretizou a aceleração da sua expansão. Chen falou:  

"A prefeitura de Beijing apresentou no final de 2005 a proposta de enfatizar o crescimento da indústria criativa cultural. Os departamentos concernentes fizeram sua inspeção na zona 798 e decidiram um ano mais tarde defini-la como a liderança para a indústria criativa cultural de Beijing".

Hoje em dia o 798 reúne um grande número de artistas chineses de primeira categoria. De acordo com os dados publicados pelas autoridades de Beijing, até julho de 2007, 354 entidades e instituições do setor se instalaram em 798. O fácil acesso e o ambiente propício fizeram o espaço ganhar fama mundial. Chen Linhui, da ilha de Taiwan, tem uma galeria ali. Para ela, o 798 pode competir com o SOHO de Nova Iorque.

"Em 1994, vim visitar um professor da Academia Central de Artes. Eu pretendia estabelecer a minha galeria em Shanghai, mas depois de visitar o 798, fiquei surpreendida. Lamentei não ter me fixado aqui mais cedo. O local é tão parecido com o SOHO nova-iorquino".

 

Além de 798, Songzhuang e Huangjiadi são outras duas bases para o setor criativo cultural da cidade. Os dois lugares reúnem centenas de artistas plásticos. O bairro Shijingshan está construindo, por outro lado, uma base de desenhos animados. De olho na perspectiva do setor, a prefeitura de Beijing formou um grupo de trabalho para o desenvolvimento da indústria criativa cultural, a fim de debater as políticas, investimentos e projetos voltados ao crescimento do setor. O governo municipal elaborou uma série de medidas preferenciais, além de injetar anualmente 500 milhões de yuans no setor.

Segundo o vice-prefeito de Beijing, Ji Lin, o setor de serviço produtivo, liderado pela indústria criativa cultural, já se tornou um dos mais dinâmicos da Capital.

"O desenvolvimento sócio-econômico de Beijing segue seu bom andamento com a otimização setorial. O setor de serviço produtivo mantém um bom desempenho neste processo. O governo, as empresas e a população estão compartilhando os frutos que a política de reforma e abertura rendeu".

De acordo com a mesma fonte, a cidade de Beijing deve possuir, até 2010, trinta locais temáticos ligados à indústria da criatividade cultural. Sua contribuição ao Produto Interno Bruto (PIB) da cidade também deve aumentar.

 
Leia mais Comentário
 
Noticiário (09-05-12)
Horário e Frequência
Minha música
Sua palavra
Correspondente Rio de Janeiro
60 Anos da Nova China
Rádio on Line
Semana no Esporte-Luis Zhao
Nos Ares da Cultura
-Inês
Sociedade Chinesa
-Luisinho
Viagem pela China-Silvia
Repórter da China
-Catarina
Encontro da CRI com seus Ouvintes
-Alexandra

Treze pandas gigantes filhotes se mudam para nova casa

Palácio de Verão

Templo de Céu
<  E-Mail  >