China Radio International
(GMT+08:00) 2006-06-30 16:55:32    
Cultura nas velhas casas

cri

Há 800 anos Beijing foi nomeada capital da China. É uma cidade histórica e cultural bem preservada. Na capital existia um modo hierárquico de viver nos tempos feudais. O imperador vivia na Cidade Proibida, os nobres viviam em mansõess de príncipes, a gente rica nos siheyuan, e os pobres nos conjuntos residenciais multi-familiares. Depois da fundação da República Popular da China em 1949, o governo chinês instituiu um sistema unificado de moradias. Alguns siheyuan do passado passarão a ser habitados por muitas famílias de diversos setores da sociedade.

Um siheyuan é um terreno com casas construídas em seus quatro lados, com um espaço aberto no centro. Não há janelas que dão para fora, e quando se fecha a porta, é um mundo tranqüilo e fechado. A construção é de estrutura de madeira, dependendo da base e da forma da casa, os recursos financeiros e preferencias do dono, assim como o nível técnico do carpinteiro. Estes terrenos se caracterizam por terem uma parede biombo, um corredor, ladrilhos esculpidos, tábuas com inscrições horizontais, pedras de subida a cavalo, etc.

Um siheyuan tem ao menos um terreno dianteiro e outro traseiro. Sua porta da parede do biombo, e a gente tem que dar a volta para entrar no terreno. Para entrar na habitação principal tem que dar várias voltas. Isto é diferente da arquitetura do terreno de estilo ocidental, onde uma escada conduz diretamente a habitação do dono, e os hóspedes podem caminhar diretamente depois de entrar na construção.

Cuidadosamente colocados ao longo da rua lateral e pintados da mesma cor, os siheyuan formavam a paisagem de Beijing. As paredes contornam um siheyuan de estilo tradicional. Não importa o estilo, os residentes se dão bem e compartilham o que tem, sobre tudo sua companhia. Pese que os residentes de uma casa com terreno podem proceder de diversos setores sociais, um ex-funcionário de alto nível do governo, outro é um especialista e o outro é um trabalhador, se tratam como irmãos.

Há numerosas casas velhas em outras cidades da China. O município de Hangzhou estabelece que as casas de estrutura de madeira e ladrilho de mais de 50 anos, das quais tem milhões, são "velhas". As casas velhas de Shanghai, representadas pelos shikumen, que combinam os estilos arquitetônicos chinese e ocidental, foram construídas nas concessões de Shanghai em meados do século XIX.

A disponibilidade de um terreno é a característica comum das casas velhas em diversos lugares da China. Alguns especialistas consideram que a cultura popular da China se origina de seu arranjo de residência. Os lugares de trabalho e os dormitórios tem geralmente seu próprio terreno, e junto as casas comerciais recém-construídas também são de estilo de terrenos.

Conservação de casas antigas

Muitas casas antigas enfrentam atualmente a ameaça da demolição. As estatísticas indicam que diminuem 600 ruas ao ano. O governo municipal de Beijing tem designado 25 zonas de conservação de casas antigas que cobrem 37% da área do velho bairro urbano. Estas casas se construíram principalmente nas dinastias Ming e Qing. O 60% restante das casas antigas, das quais muitas tem valor histórico, não estão protegidas.

Ao mesmo tempo, diversas localidades estão explorando várias formas para conservar as casas velhas. Na aldeia de Zhangwan, povoado Zhangjiawan do distrito de Tongzhou de Beijing, uma área de vários siheyuan há sido convertida em museu de siheyuan.

O governo municipal de Hangzhou emitiu um decreto sobre a conservação de casas velhas. Este decreto foi aplicado por voluntários dotados de frequentes contatos com estas casas e que conhecem seu estado, sua história e os donos.

O governo municipal de Suzhou está aprovando um novo modo de conservação. O governo destina fundos para a renovação das facilidades de infra-estrutura, para os residentes se encarregam de melhorar as instalações internas, sem trocar o marco original interior das casas.

Como os chinese preferem os terrenos, os empresários da área imobiliária de diversos lugares estão otimistas sobre o futuro deste tipo de residências. Os novos sheyuan estão bem equipados e dispõem de um bom isolamento de ruído.

Devido à escassez de terra, estas construções se encontram em zonas remotas. Como a oferta é limitada e seu preço é alto. Inclusive assim estão vendendo bem.