China Radio International
(GMT+08:00) 2006-06-08 10:36:51    
Templo Chenghuang de Shanghai

cri

O templo Chenghuang de Shanghai é um cartão de visita da metrópole. Dizem que, quem não o visita, não vem a Shanghai. Situado no centro da cidade, o templo possui mais de 600 anos de história. Com o decorrer do tempo, porém, ele vem perdendo seu peso religioso, servindo como um lugar histórico onde as pessoas vão para matar saudades do tempo passado.

Conforme a cultura taoísta, o tempo Chenghuang é dedicado às divindades protetoras da cidade. Construído no início do século XV, o templo Chenghuang de Shanghai costumava ser o pólo comercial mais movimentado durante séculos passados, testemunhando as transformações ocorridas na cosmopolita cidade. Hoje em dia, para aqueles que visitam o templo, é imperdível provar as iguarias autênticas locais. Ali, há uma rua que concentra várias lojas de alimentos. Entre elas, destaca-se a Casa Centenária de Pãozinho com recheio a vapor, a Nanxiang. Informa-se que a rainha britânica Elizabeth II a freqüentou em sua visita a Shanghai. A casa vive sempre tão lotada que precisa-se ter paciência para experimentar a delícia. Steve Omara, do Canadá, é cliente assíduo da loja. Ele comentou:

"O pãozinho a vapor daqui possui grande fama em Shanghai. Nossa! Ao falar, já fico com água na boca! Uma vez cheguei a ficar na fila por uma hora. Mas a espera vale muito a pena".

O pãozinho de Nanxiang é conhecido pela sua forma delicada e recheio especial, como carne de caranguejo.

Segundo Ling Ming, naturalista de Shanghai, ao saborear os pratos tradicionais, sempre recorda da infância.

"Aqui, o ambiente é totalmente diferente de uma metrópole. Por um lado, adoro iguarias, por outro, faz-me retornar ao tempo passado".

Além de degustar as delícias, é recomendado um passeio pela antiga rua comercial onde vende-se artesanatos locais, antiguidades e chás para saciar a sede durante sua caminhada. As lojinhas pintadas de vermelho, geralmente sobrados, possuem janelas minuciosamente esculpidas e beirais protuberantes.

Para turistas ocidentais, o Jardim Yu, próximo ao templo, é outra parada obrigatória. São 400 anos de existência, mais de 20 arquiteturas em estilo diversificado, árvores seculares, bem como pavilhões em estilo tradicional chinês, dando-lhe o nome: Floresta da cidade.

O local foi um presente oferecido por um funcionário imperial da dinastia Ming para seu pai. Yu significa em Chinês boa saúde e felicidades. O que há de mais famoso no Jardim é uma colina artificial formada com milhares de toneladas de pedras amarelas, cuja altura atinge 14 metros. Trata-se da maior e mais antiga colina artificial do Sul da China.

Além de tudo, o Jardim possui um abundante acervo de grande valor histórico, tais como caligrafias, pinturas e poemas dos renomados literários chineses, peças de ouro, esculturas. Motivo de orgulho do Jardim.