• Fanzine• Sobre CRI• Sobre o Dept.
China Radio International
China
Mundo
  Notícias
  Economia
  Cultura
  Ciência e Tecnologia
  Esporte
  Turismo
  Diplomacia

Repórter

Cultura

Turismo

Sociedade

Etnias

Mundo Lusófono

Culinária
(GMT+08:00) 2006-06-02 17:07:30    
Minorias étnicas de Beijing

cri
A Rua Niujie situada em Beijing, Capital da China, é uma zona habitada pelas minorias étnicas, principalmente pela etnia Hui. Nesta área, com 1,4 quilômetro quadrado, vivem harmoniosamente 23 minorias étnicas. Ela é conhecida como "antiga rua milenar".

Na conferência sobre os trabalhos étnicos do Comitê Central do Partido Comunista da China e na 4ª Conferência Nacional de Enaltecer a União e Progressos Étnicos, a Rua Niujie foi qualificada pelo Conselho de Estado como rua exemplar de união e progresso étnico.

No prédio recém ampliado do Centro de Serviço das Comunidades, com uma área de mais de 3 mil metros quadrados, o presidente da Comissão Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CCPPCh), Jia Qinglin, observou que lá havia salão de serviços de previdência social, junta de saúde, biblioteca, sala de divulgação de conhecimentos cientíticos e sala de atividades recreativas e esportivas.

Na sala de atividades recreativas e esportivas, um grupo de moças que usavam trajes étnicos, estavam ensaiando cantos e danças, ocasião em que elas convidaram Jia para tirar fotos com elas. Na sala de conhecimentos científicos, as crianças também convidaram Jia para participar de suas atividades. Uma menina que estava fazendo observações com o microscópio o informou que "poderia ver claramente artérias e veias do talo de esparraguera (Asparagus plumosus)".

Na biblioteca, Jia comprimentou os leitores, e uma deles o reconheceu e disse em voz alta: "Você vem pela 13ª vez à Rua Niujie".

Foi exatamente durante os trabalhos da prefeitura de Beijing para a CCPPCh, que Jia esteve presente várias vezes naquela rua. Ele se preocupava muito com a vida da população local e com o desenvolvimento da zona.

Jia tem dado atenção à remodelação de casas em mau estado, e ao projeto totalmente concluído em 2005, que tranfromou a fisionomia da rua.

Mais de sete mil famílias voltaram para essa rua, cuja área habitada aumentou de menos de cinco para 20 metros quadrados. Em 2004, o governo municipal de Beijing investiu cerca de 400 milhões de yuans (cerca de 50 milhões de dólares) na zona da Rua Niujie para transformar o hospital destinado aos huis, construir asilo étnico, restaurar mesquita e construir a praça arborizada no sul da mesquita de Fayuan.

As políticas sobre religiões étnicas estão sendo aplicadas na região. Lá estão espalhados nos dois lados da rua supermercados, restaurantes, lojas de chá para muçulmanos. As entidades das comunidades residenciais, as escolas e jardins infantis oferecem alimentação especial de muçulmanos, respeitando os hábitos dos Huis.

Nas conversas com habitantes da Rua Niujie, Jia Qinglin deu um alto apreço à união étnica. Ele deseja que os quadros e massas populares locais criem novas experiências.