• Fanzine• Sobre CRI• Sobre o Dept.
China Radio International
China
Mundo
  Notícias
  Economia
  Cultura
  Ciência e Tecnologia
  Esporte
  Turismo
  Diplomacia

Repórter

Cultura

Turismo

Sociedade

Etnias

Mundo Lusófono

Culinária
(GMT+08:00) 2006-05-30 13:51:58    
China representa uma boa oportunidade para os produtores portugueses

cri

Segundo uma notícia recentemente publicada pela Lusa, o mercado de vinho na China encontra-se em expansão e poderá representar uma boa oportunidade para os produtores portugueses aumentarem as suas exportações, apontou hoje a consultora portuguesa Market Access.

De acordo com a empresa, o mercado de vinho na China tem ganho popularidade e encontra-se com uma oferta "numerosa e variada" de vinhos estrangeiros, estimando-se que 8,3% da população possa consumir vinho importado, o que representa cerca de 100 milhões de pessoas.

Consciente deste mercado potencial, a Market Access organiza uma missão de compradores chineses à Expovinis: III Salão Internacional de Vinhos, que decorrerá na Exponor (Matosinhos) entre os dias 1 e 4 de Junho.

Esta visita da delegação de compradores chineses (17 no total) foi organizada em parceria com a Exponor para "garantir aos expositores e produtores nacionais presentes na Expovinis uma ocasião ímpar para contactos de negócio com as mais importantes empresas compradoras de vinho na China".

De acordo com a Market Access, no dia 2 de Junho (sexta-feira) decorrerá uma sessão de informação sobre "Como Exportar Vinho para a China", que contará com a presença e apresentação de vários importadores chineses.

Segundo os dados da consultora, com sede no Porto e um escritório em Pequim, o mercado chinês encontra-se actualmente dominado por vinhos de má qualidade, sendo ainda necessários "grandes esforços" para a educação do consumidor.

Sobre a China, a Market Acess refere que as empresas estrangeiras tendem a subestimar os desafios de estabelecer operações na China, em grande parte devido à sua falta de preparação.

A consultora aconselha sempre pelo menos uma visita prévia ao país para obter uma melhor perspectiva do mercado, do clima de negócios e das pessoas.

Os exportadores portugueses deverão ter ainda em conta a diversidade do país e as características individualizadas de cada província, acrescenta.